Estudantes concordam em deixar Câmara do DF

O estudante Raul Cardoso, 24 anos, um dos principais líderes do Movimento Fora Arruda e toda máfia, assinou na noite desta quinta-feira o termo de reintegração de posse da nova sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal. O local estava ocupado desde ontem por militantes do movimento, que concordaram em deixar o prédio.

Agência Estado |

Integrantes do grupo e agentes da Polícia Militar fizeram uma vistoria no imóvel para que seja feita a constatação de que não houve depredação do prédio público. A vistoria foi exigida pelos próprios estudantes. Raul Cardoso esteve à frente das negociações com as autoridades para a desocupação do prédio, que é uma obra ainda não concluída.

À tarde, quando o Tribunal de Justiça do Distrito Federal determinou a desocupação, o grupo, formado por cerca de 60 pessoas, fez uma assembleia e decidiu sair pacificamente. Cerca de 100 agentes - policiais militares e homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) - monitoram o edifício do lado de fora.

Em dezembro, o mesmo grupo havia invadido a sede atual da Câmara Legislativa em protesto contra o esquema de corrupção revelado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. Segundo o inquérito da operação, comandado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o ex-governador José Roberto Arruda seria o mentor de um esquema, conhecido como "Mensalão do DEM".

A nova sede da Câmara foi ocupada na noite de ontem - data do cinquentenário de Brasília - em protesto contra a eleição do governador Rogério Rosso, escolhido em eleição indireta pelos 24 deputados distritais, oito dos quais estão envolvidos no "mensalão". O custo da construção do prédio foi estimado em R$ 23 milhões, mas acabou sendo de quase R$ 120 milhões.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG