O estudante de marketing Gabriel Moura da Silva, de 21 anos, foi atingido por três tiros nas pernas depois ter sido acusado de provocar um acidente de trânsito e agredir dois policiais civis, no Rio. Os disparos foram feitos pelo inspetor Gilberto Da Rin, da 9ª Delegacia de Polícia (Catete), que tentava conter Silva.

De acordo com Rin, o estudante de marketing tentou tirar a arma dele. Silva capotou o Palio e bateu num Gol estacionado em frente ao DP. Os policiais saíram da delegacia, após ouvirem o barulho causado pelo acidente, e tentaram socorrê-lo. Segundo os policiais, Silva, transtornado, saiu do carro agredindo o inspetor Guilherme Fime, acertado com um soco no rosto.

"Ele estava alucinado. Recusou-se a entrar na delegacia e tentou correr. Eu fiz um disparo para o alto, de advertência. Ele veio na minha direção e agarrou a arma. Na luta, houve novos disparos", afirmou Rin. "Eu não podia deixá-lo tomar minha arma." Mesmo depois de ferido com um tiro na coxa e outro no tornozelo esquerdos e mais um no joelho direito, Silva teria resistido ao socorro.

A polícia apreendeu três garrafas de cerveja no automóvel do estudante, mas não foi possível fazer o teste de alcoolemia (teor alcoólico no sangue). "Os policiais fizeram contato com a PM e com o Instituto Médico Legal (IML) e não havia etilômetro disponível para o exame", disse o delegado Antonio Bertrand, que assumiu as investigações.

Bertrand abriu um novo inquérito para apurar se Silva estava embriagado. O estudante foi indiciado por resistência à prisão e lesão corporal. A arma do policial foi apreendida para perícia. Silva recebeu alta do Hospital Municipal Souza Aguiar hoje e não foi localizado pela reportagem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.