Estrelas prestam sua última homenagem a Patrick Swayze

A atriz Demi Moore liderou as homenagens a Patrick Swayze, falecido na noite de segunda-feira, afirmando que a luz do galã de Hollywood brilhará para sempre.

AFP |

Moore protagonizou com Swayze o premiado drama romântico "Ghost-Do outro lado da vida" (1990), no qual a atriz vive uma mulher é protegida pelo espírito do marido assassinado (Swayze).

O ator faleceu aos 57 anos vítima de complicações surgidas por um câncer de pâncreas, deixando de luto não apenas os fãs, como seus colegas de profissão.

"Patrick, você é amado por muitas pessoas e sua luz brilhará para sempre em nossas vidas", indicou Moore em um comunicado.

"Nas palavras de Sam para Molly: 'É incrível, Molly. O amor, você leva contigo'. Sentirei saudades", acrescenta a atriz, recordando um diálogo de seus personagens do filme.

A atriz Whoopi Goldberg, que ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu papel no mesmo filme, afirmou, por sua parte, que, como na ficção, Swayze "sempre estará por perto".

"Patrick era um homem muito bom, um homem divertido e a quem devo tanto que nunca poderei retribuir", declarou Goldberg. "Creio na mensagem de 'Ghost', por isso ele sempre estará por perto", acrescentou.

No filme, o personagem de Swayze consegue se comunicar com Moore através de Goldberg, que vive uma médium.

Swayze e Goldberg voltaram a contracenar juntos numa participação que ele teve no sitcom "Whoopi", de curta duração, estrelado por ela em 2003.

Antes de "Ghost", Swayze conheceu a fama em 1987 com "Dirty Dancing-Ritmo Quente", um sucesso mundial no qual vivia um professor de dança que ensina uma adolescente inexperiente e se apaixona por ela.

A co-protagonista do filme, Jennifer Grey, descreveu o ator como um "cáuboi real com um coração terno".

"Quando penso nele, penso em estar em seus braços quando éramos jovens, dançando, treinando, nos divertindo nesse filme que achávamos que ninguém veria", declarou à revista People.

Grey, atualmente com 49 anos, indicou que Swayze tinha tão pouco medo de realizar suas acrobacias que "não me surpreendeu que na batalha que travou contra o câncer tenha sido tão corajosa e digna".

Drew Barrymore, que atuou com Swayze no filme cult "Donnie Darko", em 2001, manifestou sua emoção pela morte do colega em uma coletiva de imprensa no Festival de Cinema de Toronto.

Ela recordou que o conheceu quando tinha sete anos de idade. "Era o homem mais agradável que jamais conheci", indicou.

Em Hollywood, os fãs colocaram flores sobre a estrela de Swayze na calçada da fama em Nova York.

Swayze recentemente protagonizou uma série de tv, "The Beast", na qual vivia um agente do FBI.

"Pode apostar que vou passar por um inferno", disse ele a Barbara Walters em uma entrevista. "Estou no começo de minha batalha. E espero que seja uma longa batalha", acrescentou.

"Iniciei uma nova quimioterapia e, mais uma vez, sou um dos sortudos com câncer de pâncreas que responde bem ao tratamento", disse o ator certa vez, ao desmentir uma das muitas notícias sobre sua morte.

Swayze teve o diagnóstico de um quadro avançado de câncer de pâncreas em janeiro de 2008, com um prognóstico de apenas 1% de permanecer vivo por mais de cinco anos.

O ator lutou valentemente contra o câncer e prosseguiu trabalhando, apesar do duro tratamento contra a doença e a significativa perda de peso.

Nos últimos 20 meses, Swayze também escreveu suas memórias.

Em 1991, Swayze foi eleito o "Homem mais sexy" do planeta pela revista People.

Comediante e dançarino, Swayze foi indicado três vezes para o Globo de Ouro e conviveu com a verdadeira fama de Hollywood sem perder a simplicidade.

Na vida real, casou-se com a namorada da adolescência Lisa Niemi, em 1975, que se manteve ao seu lado até a morte, algo muito incomum em Hollywood.

Atriz e coreógrafa, Lisa conheceu Swayze nas aulas de dança que a mãe do ator dava no Texas. O casal não teve filhos.

str/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG