Dot.com discute identidade - Brasil - iG" /

ESTRÉIA-Comédia portuguesa Dot.com discute identidade

SÃO PAULO (Reuters) - Pouco conhecido no Brasil, por circular mais em festivais do que nas salas comerciais, o cinema português ganha um representante nas telas com a estréia da comédia Dot.com. O filme entra em cartaz em São Paulo e no Rio de Janeiro na sexta-feira. Dot.com, co-produzido internacionalmente, com participação da Espanha, Inglaterra e Irlanda, teve a parceria também da empresa brasileira Videofilmes, dos irmãos João e Walter Moreira Salles.

Reuters |

Para evitar incompreensão do público brasileiro, por conta da diferença de sotaque, o filme será exibido com legendas.

Dirigido pelo veterano Luís Galvão Teles (de 'Glamour' e 'Fado Blues'), 'Dot.com' conta a história de uma pequena aldeia, Águas Altas. Isolada no meio das montanhas, a cidadezinha vive um tanto à margem dos progressos da civilização urbana.

O que não impede que as suas poucas dezenas de habitantes tenham todo o conforto, além de contarem com uma paisagem privilegiada, com muitos bosques e um belo lago.

Essa tranquilidade é abalada quando um jovem engenheiro de fora, Pedro (João Tempera), decide criar um site na Internet com o nome da cidade. A intenção é iniciar uma campanha pela construção de uma estrada . A campanha fracassa e o site acaba no centro de uma grande polêmica.

Acontece que, na Espanha, uma grande companhia decidiu relançar uma de suas águas minerais, chamada justamente Águas Altas. Como resultado, executivos da empresa movem um processo contra o site da aldeia portuguesa, pedindo alguns milhares de euros como indenização pelo uso de um nome que, para eles, é marca comercial de sua propriedade.

A primeira idéia do engenheiro é tirar o site da aldeia do ar, para evitar uma grande questão judicial. Mas a maioria dos moradores da aldeia entende que devem enfrentar a empresa espanhola, já que o nome Águas Altas batizou a cidade há pelo menos oitocentos anos.

A empresa de águas envia à aldeia uma representante, Elena (Maria Adánez), que procurará pôr fim ao conflito com algum tipo de acordo.

Pedro não quer nem ouvir falar de Elena, nem de sua missão conciliadora. Mesmo assim, a moça ganha a simpatia de Victor (Marco Delgado), o melhor amigo de Pedro e que, naquele dia, esperava pela chegada de sua própria namorada, outra espanhola, que acabou não vindo.

Para evitar que Elena seja maltratada por habitantes da cidade, se conheceram sua verdadeira missão, ela se faz passar pela namorada de Victor. E assim conhece um a um os moradores e seus líderes, como o padre Felicidade (André Nunes).

O roteiro, escrito por Suzane Nagle e Gonçalo Galvão Teles, desenvolve com leveza temas sérios, como identidade nacional, rivalidades européias (uma das mais famosas é, justamente, a que divide portugueses e espanhóis), globalização, urbanização e modernidade.

E também há um tempero romântico no cruzamento das histórias de Pedro, Elena, Victor e da ex-mulher de Pedro, a jornalista Ana (Isabel Abreu).

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG