Estradas usadas para escoar produção em município de Tocantins estão intransitáveis

BRASÍLIA - Todas as estradas usadas para escoar a produção de farinha de Paragominas, em Tocantins, estão intransitáveis, causando prejuízo de cerca de R$ 1 milhão ao município. A estimativa é do prefeito da cidade, Antônio Mota (PR). Segundo ele, além de provocar danos relacionados à infraestrutura, as chuvas afetam áreas como saúde e educação. Mota disse que 70% dos estudantes do município não estão conseguindo chegar às salas de aula.

Agência Brasil |

Além de atingir cerca de mil famílias diretamente, as enchentes do Rio Araguaia deixaram intransitáveis 12 estradas municipais, todas importantes para o escoamento da farinha produzida pelos seis assentamentos de sem-terra, que são de grande relevância para a economia do município, lamentou Mota, que participa de um encontro de prefeitos no Senado.

Ele explicou que, por causa das chuvas, os assentados também não conseguem produzir nem vender a farinha, seu principal produto. Não existem mais estradas municipais para o acesso a esses assentamentos localizados a cerca de 100 quilômetros da cidade. Com isso, o trasporte escolar também ficou totalmente prejudicado.

Em Paragominas não há Defesa Civil e por isso a cidade ainda não teve condições de decretar estado de calamidade pública. Nós já fizemos contato com o governo de Estado e daremos início a esse processo, afirmou o prefeito. O município tem 5,2 mil habitantes, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e 7,8 mil, de acordo com os agentes de saúde municipais, que também têm suas atividades prejudicadas em função das dificuldades de locomoção.

    Leia tudo sobre: chuvas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG