LOS ANGELES (Reuters) - O estilista de celebridades Anand Jon foi condenado na segunda-feira ao mínimo de 59 anos de prisão por ter agredido sexualmente candidatas a modelos, algumas de apenas 14 anos, anunciou a Promotoria Pública do Condado de Los Angeles. O estilista, que até sua prisão, em 2007, vestia a socialite Paris Hilton e a cantora Janet Jackson, foi condenado em novembro passado por 16 acusações, que incluem estupro, agressão sexual e atos obscenos diante de uma criança.

Depois de negar os recursos de Jon, em que o estilista pedia a realização de novo julgamento, o juiz David Wesley, da Corte Superior de Los Angeles, o condenou a uma pena de entre 59 anos de prisão e prisão perpétua.

Promotores disseram que os crimes começaram em 2001, quando Jon montou uma empresa de moda através da qual atraía candidatas a modelos a Los Angeles. A polícia se envolveu em março de 2007, quando uma mulher denunciou ter sido sexualmente agredida no apartamento do estilista em Beverly Hills.

Jon, cujo nome completo é Anand Jon Alexander, nega as acusações. Alegando que há poucas provas concretas dos fatos, seus advogados disseram que as garotas e moças eram pessoas em busca de vingança que inventaram suas histórias ou "provocaram o que aconteceu."

Nascido na Índia, o estilista participou em 2003 do programa de TV "America's Next Top Model" e foi apontado pela revista Newsweek em 2004 como uma das pessoas mais promissoras do sul da Ásia.

(Texto de Steve Gorman, edição de Anthony Boadle)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.