Estatinas: as aliadas das artérias

Estatinas: as aliadas das artérias Por Adriana Bifulco São Paulo, 02 (AE) - Você já ouviu falar em estatinas? Há cerca de 20 anos, elas eram conhecidas apenas como remédios recomendados para reduzir as taxas de colesterol ruim. Mas hoje sabe-se que o medicamento tem efeitos importantes na aterosclerose - doença crônica-degenerativa, que leva à obstrução das artérias (vasos que conduzem o sangue para os tecidos) pelo acúmulo de lípides (principalmente colesterol) em suas paredes.

Agência Estado |

A artéria fica inflamada, pode romper e provocar ataque cardíaco e derrame cerebral.

Mas sabe-se agora que as estatinas ajudam a diminuir a aterosclerose e ampliam a elasticidade das artérias, tornando o paciente menos propenso a sofrer um ataque cardíaco. "Todos aqueles que já enfartaram precisam tomar estatinas, para evitar outro ataque", alerta Francisco Fonseca, professor livre docente da Escola Paulista de Medicina de Cardiologia, durante a 57ª American College of Cardiology (ACC) Annual Scientific Session, que abordou o tema esta semana nos EUA.

"Quem tem histórico familiar deve fazer exames periódicos para checar a saúde e saber se há motivo para começar a tomar o medicamento. Existem pessoas que fazem um ultra-som das carótidas ou das coronárias e descobrem que tem aterosclerose nessas regiões. Elas precisam tomar estatinas para retardar o mal ou diminuir seu grau. O remédio começa a mostrar seus efeitos em 30 dias", afirma Fonseca.

E não há a necessidade de tomar estatinas apenas por precaução quando se é saudável, segundo Carlos Alberto Pastore, professor livre docente da USP e diretor de serviços médicos do Instituto do Coração (Incor), que também estava no evento que divulgava a importância da eficácia da Rosuvastatina, considerada a primeira estatina capaz de reverter a aterosclerose, o acúmulo de placas de gordura na parede interna das artérias.

Foi constatado que em apenas dois anos a Rosuvastatina reduz significativamente esse mal. "De cada cinco pacientes,
quatro tiveram regressão", afirma Pastore.

COMO PREVENIR A ATEROSCLEROSE - Evitar o tabagismo, frituras, o consumo de carne vermelha e ter uma alimentação rica em fibras, frutas, verduras e legumes é fundamental para manter a saúde em dia. "Havia muito mais mortes na Finlândia do que no Japão. A população passou então a diminuir o fumo, melhorou a alimentação e reduziu a aterosclerose. Nos EUA, o problema diminuiu nos últimos 20 anos. No Brasil as pessoas ainda precisam aprender a consumir alimentos saudáveis e diminuir o fumo para combater o colesterol", avisa Fonseca. "Praticar exercícios também é muito importante", enfatiza.

Boxe: PROCESSOS QUE PODEM CAUSAR A ATEROSCLEROSE
- Diabetes;
- Hipertensão;
- Sedentarismo;
- Tabagismo;
- Obesidade;

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG