Estados pressionam para adiar votação da reforma tributária

BRASÍLIA (Reuters) - Secretários estaduais da Fazenda aumentaram na quarta-feira a pressão para adiar a votação da reforma tributária, que o governo gostaria de ver aprovada este ano. Preocupados com a possibilidade de perderem receita com as mudanças do sistema tributário nacional e também por conta da desaceleração da economia gerada pela crise financeira global, secretários da Fazenda de 16 Estados apresentaram requerimento ao presidente da comissão especial que analisa a matéria na Câmara, deputado Antonio Palocci (PT-SP), pedindo o adiamento da votação.

Reuters |

Na quinta-feira, eles se reunirão com os integrantes da comissão para debater o assunto.

Assinaram o requerimento os secretários estaduais da Fazenda de São Paulo, Santa Catarina, Roraima, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Paraíba, Paraná, Pará, Minas Gerais, Mato Grosso, Espírito Santo, Distrito Federal, Amapá, Alagoas, Tocantins e Sergipe.

O documento dado a Palocci destaca o temor dos Estados quanto à sustentabilidade das alterações propostas. "As incertezas quanto aos efeitos da crise financeira internacional e seus impactos na economia brasileira, se, por um lado, podem aconselhar a construção de um modelo tributário mais adequado, por outro já se refletem nas projeções de crescimento do Produto Interno Bruto e nos índices de confiança do setor industrial, com redução significativa da arrecadação tributária, impondo um cuidado redobrado com alterações que atinjam as fontes de arrecadação pública."

A demanda se choca com o interesse do governo federal. Na semana passada, o líder do governo na Câmara, deputado Henrique Fontana (PT-RS), afirmou a jornalistas que o compromisso da base aliada é aprovar a reforma tributária na Casa até o fim do ano.

(Reportagem de Fernando Exman)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG