Indenização de R$ 35 mil irá para a filha da paciente que morreu por infecação contraída em cirurgia

O Estado do Rio de Janeiro foi condenado a pagar R$ 35.700 mil para a filha de uma paciente que morreu por causa de uma infecção contraída após cirurgia realizada no hospital estadual Carlos Chagas.

A autora da ação contou que sua mãe fraturou o colo do fêmur direito, e teve que ser internada no hospital para ser operada. A cirurgia ocorreu dois meses depois. Dias após o procedimento, iniciou-se um processo infeccioso na perna da paciente, mas o hospital recusou-se a recebê-la de volta.

O hospital só aceitou interná-la novamente após muita insistência, segundo a filha. A mulher morreu antes de passar pela segunda cirurgia, que havia sido marcada para três meses depois.

Na 1ª instância, o Estado do Rio havia sido condenado a pagar R$ 19 mil de indenização por danos morais, mas os desembargadores da 10ª Câmara Cível, do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ), decidiram aumentar o valor da verba indenizatória.

Para o relator do processo, desembargador Gilberto Dutra Moreira, embora seja notória a precariedade da saúde pública, não se pode admitir que uma paciente internada demore meses para ser operada e, estando com infecção, seja mandada para casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.