Estado da ministra Dilma Rousseff é estável, diz boletim médico

SÃO PAULO - A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, segue internada no Hospital Sírio-Libanês, onde deu entrada na madrugada desta terça-feira com dores nas pernas, segundo informações do último boletim divulgado pelo hospital.

Redação |

Segundo o Sírio-Libanês, Dilma está fazendo um "tratamento para suas dores nos membros inferiores", causadas por uma miopatia (dores musculares). No fim desta tarde, a paciente continua estável e usando medicamentos analgésicos, de acordo com informações da assessoria do hospital.

Ao ser internada, por volta das 3h da madrugada desta terça-feira, a ministra passou por um exame de ressonância magnética e o resultado ficou dentro da normalidade. Ela foi recebida pelos seus médicos particulares que já a aguardavam no Centro de Diagnósticos do hospital.

Câncer no sistema linfático

No dia 25 de abril, a provável candidata do PT ao Planalto em 2010 informou a descoberta de um linfoma, câncer no sistema linfático, detectado na axila esquerda. O tumor de 2,5 centímetros estava em estágio inicial, segundo os médicos, e foi retirado em cirurgia de 45 minutos no Hospital Sírio-Libanês.

O tratamento de quimioterapia deverá durar quatro meses e será aplicado em sessões realizadas no hospital a cada três semanas. De acordo com a equipe médica, composta por Roberto Kalil Filho (cardiologista), Paulo Hoff (oncologista clínico), e Yana Augusta Sarkis Novis (hematologista), a ministra encontra-se, neste momento, sem "evidência da doença ativa" (não há mais nenhum tumor) e fará a quimioterapia por segurança. Yana enfatizou que, como a doença está no estágio inicial, há grande chance de cura.

Leia também:

Leia mais sobre: Dilma Rousseff

    Leia tudo sobre: dilma rousseff

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG