Esqueleto achado pela polícia pode ser de engenheira desaparecida

RIO DE JANEIRO ¿ Um esqueleto achado por soldados da 18º BPM (Jacarepaguá) no final da rua Comandante Guaranis, em Curicica, zona oeste do Rio, pode ser da engenheira de produção Patrícia Amieiro Franco, de 24 anos. Ela está desaparecida desde a madrugada do dia 14 de junho deste ano, após seu carro ter despencado de uma ribanceira e caído no Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca.

Redação |

Acordo Ortográfico

Os restos mortais teriam vestígios de roupas de mulher, reforçando a hipótese da polícia. Uma viatura da 32ª DP (Taquara) esteve no local juntamente com a Delegacia de Homicídios. O Corpo de Bombeiros foi à região para fazer o recolhimento da ossada e encaminhá-la para o Instituto Médico Legal (IML). Foi feita também a perícia do local. No entanto, o delegado Sandro Luiz Pereira, da 32ª DP, acredita ser "improvável" que os restos mortais encontrados sejam da engenheira.

Patrícia desapareceu no dia 14 de junho, quando voltava de um show do grupo Monobloco, no Morro da Urca. Primeiramente tratado como um

Reprodução

Patrícia está desaparecida desde 14 de junho

acidente, o sumiço da engenharia ganhou outros contornos quando o Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) constatou que havia marcas de bala calibres ponto 40, 380 ou 9mm - os mesmos tipos usados pela PM - na lataria do automóvel da vítima.

Outros pontos intrigaram os investigadores como o cinto de segurança que ainda estava afivelado, dificultando a saída do corpo pelo vidro traseiro, e uma pedra do tamanho de um paralelepípedo encontrado perto do pedal do acelerador. Policiais do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) são suspeitos pelo desaparecimento de Patrícia.

Leia mais sobre: engenheira desaparecida

    Leia tudo sobre: desaparecimentoengenheirapolícia militarviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG