Espera pelo Táxi Amigão chega a duas horas em SP

No fim da festa é que muitas vezes se reconhecem os verdadeiros parceiros, aqueles que não vão deixá-lo na mão - ou a pé. Deveria ser assim com o Táxi Amigão, iniciativa lançada há pouco mais de dois meses pela Prefeitura de São Paulo, que prevê desconto de 30% nas corridas entre 20 e 6 horas nas noites de sexta-feira, sábado e vésperas de feriado.

Agência Estado |

O que se vê nos bairros mais badalados da cidade são veículos mal sinalizados, taxistas que não cumprem o horário e pouca divulgação. Alguns clientes esperam até duas horas pelo serviço.

Queixas se repetem em seis bairros percorridos pela reportagem: Vila Madalena, na zona oeste; Jardins e Moema, na sul; Bela Vista, no centro; Tatuapé, na região leste; e Parada Inglesa, na norte. A reportagem passou por 11 dos 79 pontos do Táxi Amigão e ouviu queixas como a da farmacêutica Mariana Gava, de 29 anos. "Eu não sei onde ficam", contou a jovem, enquanto tentava avistar os veículos do Amigão do outro lado da Rua Mourato Coelho, na Vila Madalena.

Em uma hora e meia, pelo menos 40 táxis passaram por ali. Desses, 12 eram Amigões, mas nenhum tinha o luminoso verde, como determina a Prefeitura. Em toda a cidade, dos 22 veículos identificados pela reportagem, só 5 respeitavam todas as normas. Os demais tinham luminosos tão claros que a diferença só era perceptível ao lado de um táxi comum. "A lâmpada fica acesa e gasta a cor", justificou um taxista no ponto da Avenida Luís Dumont Villares com a Rua São Leôncio, na Parada Inglesa. O logotipo de identificação também não estava visível. "Caiu."

Os taxistas que aderem ao programa rodam com bandeira 1 e, em compensação, têm prioridade em eventos. Eles são obrigados a oferecer o desconto durante toda a madrugada, o que raramente ocorre, pois não há respeito ao horário. A reportagem telefonou para todas as cooperativas cadastradas no programa. Apenas a atendente da Associação Apolo perguntou origem e destino para informar o tempo de espera - 30 minutos. "É melhor agendar com umas duas horas de antecedência", afirmou o atendente da Fast Táxi Transporte. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG