Cerca de 30% da população mundial sofre de rinite alérgica e o problema se agrava no outono. Todos integrantes da legião que teme o fim do verão têm de se preocupar em manter o ambiente limpo, em evitar odores fortes e ficar longe da poeira e do ácaro.

A rinite não é uma doença contagiosa, mas a resposta do organismo (no caso, do nariz) frente a uma alergia, exigindo tratamento específico segundo os especialistas. São vários os fatores que explicam por que a rinite ataca mais a partir do outono.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, Luís Felipe Ensina, o primeiro fator é a grande variação de temperatura nessa época do ano. “No dia faz 25 graus e, à noite, cai para 15.” A queda nos termômetros leva as pessoas para locais fechados - que, muitas vezes, estão cheios de tapetes, carpetes e cortinas e, empoeirados, são local perfeito para a proliferação dos ácaros. E, como as mucosas nasais (barreira natural que impede a entrada de substâncias estranhas pelo nariz) estão ressecadas, começa o primeiro espirro, que se agrava para outros sintomas.

Um erro comum, segundo Ensina, é confundir a rinite com resfriado. Os sintomas são parecidos nas duas situações. Mas, no caso de resfriado, à irritação do nariz, ouvidos e garganta, se somam mal-estar, febre e moleza. Também diferencia as duas doenças o tempo de duração. “O resfriado dura de três a quatro dias”, diz o alergista. “A rinite, enquanto não for tratada, não melhora.”

O presidente da associação explica que, hoje, a rinite pode ser tratada de três formas. A primeira é tirar os fatores ambientais e comportamentais que predispõe a ela - como evitar poeiras e cheiros fortes. “Tirar as possíveis substâncias que provocam a alergia é fundamental”, ele diz. O segundo passo é apelar a medicamentos como corticoides de uso nasal, que, segundo o médico, são eficientes em diminuir a inflamação no nariz. “Podem ser usados por longos períodos.”

Alternativas a esses remédios são as vacinas contra alergia que fazem com que o organismo a se “acostume” com a substância que provoca o problema. Vale ressaltar que o ideal é procurar um médico e evitar a automedicação. Um especialista vai descobrir o que provoca a rinite e o tratamento adequado. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.