Especialistas alertam sobre riscos de arritmia cardíaca

A Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas alerta que 50% das mortes por problemas cardiovasculares ocorre subitamente, ou seja, em até uma hora, e que alterações do ritmo dos batimentos cardíacos estão por trás disso. Além de chamar a atenção para que a população valorize sintomas das arritmias - palpitações, tonturas - e os exames preventivos - um simples eletrocardiograma é o primeiro passo -, a entidade quer que as autoridades de saúde passem a computar dados sobre o problema.

Agência Estado |

Dessa forma a dimensão do problema será conhecida - dossiês de alerta serão enviados às Secretarias da Saúde e Ministério. "Hoje, as arritmias só costumam ter atenção quando alguém morre subitamente durante a prática esportiva", afirma o cardiologista Martino Martinelli Filho, responsável pelo projeto "Coração na Batida Certa".

Segundo dados do levantamento "Saúde Brasil 2007", divulgados no início deste mês, cerca de 30% das mortes no País ocorrem em razão de problemas cardiovasculares, principalmente derrame e enfartes. O coração faz normalmente uma seqüência de 60 a 100 batimentos por minuto e alterações nesse ritmo são as chamadas arritmias.

As pessoas mais propensas são aquelas que já tiveram um problema cardiovascular, como um enfarte, mas elas também podem ocorrer entre pessoas sem sintomas, causadas por alterações na "parte elétrica" do coração, por exemplo. A prática de exercício físico também é ocasião para o aparecimento das alterações. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG