Wall-E : Jim Reardon explica como são feitos os storyboards - Brasil - iG" /

Especial Wall-E : Jim Reardon explica como são feitos os storyboards

EMERYVILLE (EUA) - Jim Reardon, que passou 14 anos supervisionando Os Simpsons, é o chefe do departamento de roteiro na Pixar há quatro anos, e é o co-roteirista de Wall-E. Ele fez uma rápida apresentação sobre o processo de storyboarding e concepção do filme.

Marcela Tavares |

Qual o principal desafio dos artistas de storyboard em "Wall-E"?

Storyboarding é a arte de transformar as palavras de um roteiro ou uma idéia passada pelo diretor em imagens. E em "Wall-e", onde os diálogos são raros, o storyboard tem um papel ainda maior de evitar reações de cenas e furos na história.

Quais os primeiros passos para a criação de um storyboard?

Lemos o roteiro e fazemos uma série de reuniões e conversas com o diretor para saber que emoções ele quer passar na cena, que ângulos ele quer usar, que movimentações de câmera ele pretende fazer. Finalizamos os desenhos e apresentamos em formato de slideshow. Colocamos até som e música temporários para dar uma boa idéia ao diretor de como aquilo vai ficar na tela. Se notarmos a necessidade de trocar alguma coisa, começamos tudo de novo. O trabalho de animação é muito caro e leva muito tempo, por isso nos dedicamos tanto a trabalhar a história e o que queremos passar para evitar retrabalho.

Cerca de quantos desenhos foram necessários para transpor em imagens o roteiro de "Wall-E"?

Mais de 20 mil desenhos foram feitos para que conseguíssemos transformar em imagens os sentimentos, ações e reações dos robôs, humanos e seres que aparecem e interagem em Wall-E.

Desde a fundação da Pixar, qual a principal diferença no método de trabalho de vocês?

Antes os storyboards eram feitos a mão. Hoje em dia a maioria é feita no computador. Agora também usamos música e sons temporários para dar uma melhor idéia da cena. E também usamos um recurso muito similar a um slideshow para mostrar os storyboards para o diretor, o que ajuda muito a estabelecer o clima da cena e testar se realmente as idéias e emoções estão sendo passadas de forma correta.

Como foi o trabalho com Andrew?

Andrew sempre teve uma visão muito clara do que queria e também foi muito generoso em descartar cenas boas, mas que não ajudavam no andamento do filme. Para um criador, é complicado abrir mão de idéias interessantes, mas Andrew nunca teve problemas em deixar de lado cenas que não agregavam nada ao filme.

Houve alguma grande mudança nas idéias principais do filme que aconteceram nessa etapa?

Acho que a principal mudança que fizemos é a cena em que Wall-E finalmente fica de mãos dadas com Eve. É como ele diz "eu te amo" nesse filme, já que não fala. Isso ia acontecer quando Wall-e mostra passos de danca para Eve na primeira vez que ela visita a casa dele, mas achamos que isso era tão importante que tinha que ser deixado para o final do filme, afinal de contas estamos contando uma história de amor.

Confira trailer, entrevistas e os bastidores da nova produção da Pixar no especial "Wall-E"

Leia mais sobre o filme "Wall-E" .

A jornalista viajou a convite da Disney .

    Leia tudo sobre: cinemawall-e

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG