Espanha dará pulseiras com GPS a infrator em casos de violência

MADRI (Reuters) - O governo espanhol vai introduzir 3 mil pulseiras incorporadas com GPS que serão colocadas em infratores para assegurar que cumpram as ordens de manter distância em casos de violência de gênero, informou nesta quarta-feira o Ministério da Igualdade em um comunicado. A medida entrará em vigor em todo o território a partir do dia 24 de julho, segundo a mídia, e em uma fase inicial os dispositivos cobrirão cerca de 10 por cento das ordens de distância.

Reuters |

Neste ano 10 de 26 mulheres que morreram por abuso no país tinham apresentado uma denúncia e nove contavam com medidas de proteção, segundo dados do Ministério de Igualdade de final de junho. Foram cinco mortes a menos que as registradas até o mesmo período de 2008.

Cada um dos 3 mil dispositivos contém três terminais, dois que levarão a pessoa que abusa e um à vítima, e com eles o Ministério da Igualdade, em colaboração com os Ministérios da Justiça e do Interior, querem melhorar a proteção e ter um controle maior sobre as medidas de distância.

O plano para distribuir 3 mil pulseiras coincide com a publicação de um relatório da Anistia Internacional, segundo o qual a Espanha deve garantir uma vida sem violência, não somente de gênero, para todas as mulheres e meninas.

"Nos últimos anos tem avançado bastante a luta contra uma determinada forma de violência, a que se produz em contexto de casal e de ex-casal", declarou Itziar Ruiz-Giménez, presidente da Anistia Internacional na Espanha, em comunicado.

"Contudo, é alarmante que não haja um plano para prevenir todas as formas de violência sexual, proteger todas as vítimas, com especial ênfase para meninas e as vítimas de tráfico, e processos aos responsáveis", acrescentou.

A Anistia destaca que o que a preocupa especialmente é a falta de dados confiáveis sobre a violência sexual e tráfico de pessoas, a inadequada legislação e planos para a correta atenção destas vítimas ou a ausência de mecanismos de prevenção.

(Reportagem de Emma Pinedo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG