Escritor Wilson Bueno é encontrado morto no Paraná

Polícia trabalha com hipótese de latrocínio, que é roubo seguido de morte

iG São Paulo |

ARQUIVO
O escritor Wilson Bueno em evento de lançamento de livrio. Foto: Walter Craveiro/Divulgação
O escritor paranaense Wilson Bueno, de 61 anos, foi encontrado morto no início da noite de ontem na casa onde morava, no Bairro Santa Cândida, em Curitiba, de acordo com a assessoria de imprensa do Secretaria de Segurança do Paraná. Autor de romances e contos, Wilson Bueno é reconhecido como um dos mais importantes escritores contemporâneos no País.

A polícia suspeita que ele foi assassinado com um golpe de arma branca no pescoço durante tentativa de assalto, ainda na noite deste domingo, embora não fosse encontrado sinais de arrombamento. O escritório dele estava revirado.

O corpo foi encontrado por um amigo do escritor chamado pela diarista, que estranhou ele não aparecer até o fim da tarde. Criador do jornal cultural Nicolau, Bueno é autor de 13 livros. Nasceu em Jaguapitã, no norte do Paraná, mas morava havia muitos anos na capital paranaense.

Apresentado aos leitores brasileiros pelo poeta Paulo Leminski, em 1986, com a reunião dos “contos-blues” de “Bolero’s Bar”, Wilson Bueno aprofundou sua carreira de escritor com a publicação de diversos romances e contos de relevância da literatura contemporânea brasileira. Bueno também criou o suplemento de ideias “Nicolau”, inúmeras vezes premiado, inclusive com o título de “Melhor Jornal Cultural do Brasil”, pela Associação Paulista dos Críticos de Arte, em 1987, do qual foi editor por oito anos. Bueno também foi cronista dominical do jornal “O Estado do Paraná” e colaborador regular de “O Estado de S. Paulo”.

O corpo de Wilson Bueno foi velado na Capela da Luz, no Cemitério Municipal, em Curitiba. O sepultamento ocorreu no fim da tarde, no Cemitério Municipal do Santa Cândida.

* com informações na Agência Estado

Confira lista dos livros publicados de Wilson Bueno:
Bolero’s Bar (1986)
Manual de zoofilia (1991)
Ojos de água (1992)
Mar paraguayo (1992)
Cristal (1995)
Pequeno tratado de brinquedos (1996)
Medusario – mostra de poesia latinoamericana (1996)
Jardim zoológico (1999)
Meu Tio Roseno, a cavalo (2000)
Once poetas brasileños (2004)
Amar-te a ti nem sei se com carícias (2004)
Cachorros do céu (2005)
Diário vagau (2007)
Pincel de Kyoto (2007)
Os chuvosos (2007)
Canoa Canoa (2007)
A copista de Kafka (2007)
O gato peludo e o rato de sobretudo (2009)

    Leia tudo sobre: escritorWilson Buenomorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG