Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, entrevistados levam ainda em consideração conforto, preço e segurança

Moradores dos principais municípios do País que optam por usar carro ou motocicleta como meio de transporte levam em consideração a rapidez que esses meios proporcionam. Além disso, o carro é  considerado confortável e a moto, mais barata. É o que revela a pesquisa Sips (Sistema de Indicadores de Percepção Social) Mobilidade Urbana feita pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e divulgada nesta quarta-feira.

A população tem três grandes preocupações quando escolhe o meio de transporte: velocidade, preço e disponibilidade. A primeira explica o fato de 86,65% das pessoas considerarem o transporte motorizado individual (carro ou motocicleta) um meio muito bom ou bom para se locomoverem. Mas os quesitos conforto e comodidade contra o quesito preço explicam a opção por um dos dois.

Rapidez no trânsito é o principal motivo para população escolher moto e carro como meio de locomoção
Futurapress
Rapidez no trânsito é o principal motivo para população escolher moto e carro como meio de locomoção
Além disso, é preciso levar em consideração outras duas questões que explicam a escolha entre um meio e outro. Os usuários de moto sentem que ficam menos tempo no congestionamento (28,07% do tempo contra 43,5% de quem usa o carro). Por outro lado, se sentem menos seguros: apenas 35,09% motociclistas se sentem seguros enquanto 54,63% motoristas têm a mesma sensação.

Foi justamente essa última razão que levou Raimundo Ferreira Junior, de 36 anos, a trocar a moto – meio de transporte que usou durante 10 anos – por um carro. “Na verdade ficou perigoso e como tenho minhas meninas resolvi ficar só com o carro”, conta pensando em suas duas filhas. Além disso, “não ter o corpo como pára-choques é a mais importante [razão da troca]. O carro dá mais segurança.”

“A agilidade para atravessar a cidade era a maior vantagem aliada com a economia. Mas com o carro tem a questão do conforto. Eu não pego sol, chuva. Se tiver frio, fecho os vidros”, explica Ferreira Junior.

Andando a pé

A pesquisa também mostra que a rapidez é uma das razões para as pessoas que optam por andar a pé ao invés de usar um transporte (como carro, moto ou bicileta) para locomoção. As pessoas questionadas responderam que essa é uma maneira rápida, barata e saudável. Além disso, quem anda a pé também se sente boa parte do tempo (50,72%) seguro.

Sensação de segurança
A pé Bicicleta Carro Moto Coletivo
Sempre 50,7% 34,54% 56,63% 35,09% 31,71%
Na maioria das vezes 23,36% 19,07% 28,07% 25,73% 28,54%
Raramente 8,93% 18,56% 9,56% 16,37% 15,77%
Nunca 15% 27,84% 7,74% 22,81% 23,98%
Ipea

Congestionamentos

Os congestionamentos também foram apontados com relevância pelos entrevistados. De acordo com o estudo, quase metade (43,5%) dos motoristas afirma enfrentar morosidade no trânsito. Esse tipo de problema foi apontado por 35,06% das pessoas que utilizam a motocicleta como forma de locomoção e por 28,07% dos que fazem uso de transporte público.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.