Escola particular para carentes é a 1ª do Enem em SP

Na escola paulista de melhor desempenho no Enem, o aluno não paga mensalidade. Os estudantes do Colégio Engenheiro Juarez Wanderley, de São José dos Campos, obtiveram nota 76,02 (em 100) no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), realizado em 2008.

Agência Estado |

Foi a 8ª mais alta do País. Todos são ex-estudantes do ensino público que passaram em uma concorrida seleção para estudar em um colégio mantido pela fabricante de aviões Embraer. A empresa investe R$ 14 mil por aluno ao ano. E eles superaram colegas dos tradicionais Bandeirantes, Vértice e Etapa, cujos pais desembolsam quase o dobro para mantê-los nesses colégios.

A única escola pública de São Paulo a aparecer entre os dez destaques é um centro federal, que dá formação técnica e seleciona seus alunos. A escola pública estadual paulista com maior pontuação surge só em 924º lugar e fica em Taboão da Serra. Na lista geral do Brasil, o Colégio São Bento, do Rio, uma das únicas que ainda só aceitam meninos, teve a melhor o melhor desempenho pela terceira vez.

O criador da prova e atual secretário estadual da Educação, Paulo Renato Souza, critica a divulgação das notas. Ele diz que os alunos que participam em cada escola não necessariamente representam uma média dos que lá estudam, uma vez que o exame é voluntário. Mas o MEC sustenta que a informação é relevante. A primeira lista saiu em 2006. Neste ano, o Enem será ampliado e deve se tornar um grande vestibular nacional. A partir dele, já será possível comparar os resultados ano a ano, porque os exames passarão a ter o mesmo nível de dificuldade. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Leia tudo sobre: escola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG