Equipes resgatam 24 corpos de acidente do AF 447

Por Fernando Exman RECIFE (Reuters) - As equipes que trabalham nas buscas pelo Airbus da Air France que caiu no Atlântico já recolheram 24 corpos, informaram a Marinha e a Força Aérea Brasileira nesta segunda-feira.

Reuters |

"Os oito últimos corpos resgatados, em trabalho conjunto da Marinha do Brasil e Marinha francesa, serão oportunamente encaminhados para Fernando de Noronha, onde serão submetidos à preparação pericial inicial e, posteriormente, transportados de avião para a cidade do Recife", afirmou nota conjunta da Marinha e da Aeronáutica, divulgada na noite desta segunda.

Segundo o capitão-de-fragata Giucemar Tabosa Cardoso, da assessoria de imprensa da Marinha, os oito corpos foram recolhidos no período da tarde pela fragata Bosísio, da Marinha do Brasil, numa região a cerca de 440 quilômetros a nordeste do arquipélago São Pedro e São Paulo.

Outros 16 corpos de vítimas do acidente do voo AF 447, que caiu quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris com 228 pessoas a bordo, estão a caminho de Fernando de Noronha na fragata Constituição. O navio deve chegar ao arquipélago na manhã de terça-feira.

Segundo o tenente-coronel Henry Munhoz, da assessoria de imprensa da Aeronáutica, destroços do Airbus também estão sendo retirados do mar.

"Podem ter certeza absoluta que diversas partes do avião estão sendo a cada dia resgatadas pelos navios da Marinha do Brasil", disse a jornalistas.

"As peças do avião serão trazidas a Recife e aqui o Salvaero Recife (centro de coordenação e salvamento) está em contato com o operador do equipamento a fim de que ele possa dizer qual o procedimento deverá ser adotado à medida que esse material comece a chegar aqui", acrescentou.

Henry confirmou que os Estados Unidos poderão ajudar nos trabalhos de localização da caixa-preta.

"Eventuais ações paralelas tanto do governo americano como do governo francês estão em andamento, porém ainda não foram efetivamente concretizadas, em particular as envolvendo o governo americano", ponderou.

A Marinha da França enviou ao local do acidente um submarino nuclear a fim de tentar encontrar a caixa-preta, peça essencial para a investigação das causas da queda da aeronave. Além disso, um de seus navios leva um pequeno submarino usado normalmente para a realização de pesquisas marítimas.

Apesar das dificuldades encontradas na área de buscas e da probabilidade de muitos corpos estarem presos à carcaça do avião no fundo do oceano, o porta-voz da Força Aérea Brasileira ressaltou que o objetivo da missão é resgatar os corpos de todos os passageiros e tripulantes.

Ele lembrou que em setembro de 2006, no acidente do avião da Gol, os restos mortais dos 154 ocupantes da aeronave foram resgatados da Amazônia.

"A nossa missão é difícil, pode ser que muita gente acredite que a gente não consiga realizar porque as dificuldades são muito maiores, mas eu gostaria que todos soubessem que o nosso objetivo ao terminarmos essa operação de busca e resgate é não deixar ninguém para trás", frisou.

O voo AF 447 levava 216 passageiros de 32 nacionalidades, sendo 61 franceses e 58 brasileiros. Também estavam a bordo 12 tripulantes, um deles brasileiro.

(Edição de Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG