Equipes de resgate encontram corpos e destroços do AF 447

Por Fernando Exman RECIFE (Reuters) - A Força Aérea Brasileira (FAB) e a Marinha informaram ter encontrado neste sábado dois corpos, assentos, pedaços da asa e outros destroços do Airbus A330 da Air France, desaparecido na noite do último domingo quando fazia a rota Rio de Janeiro-Paris com 228 pessoas a bordo.

Reuters |

"Hoje pela manhã, às 8h14, tivemos a confirmação do resgate na água de peças e corpos que pertenciam ao voo da Air France", disse a jornalistas o coronel Jorge Amaral, vice-chefe da Comunicação Social da FAB.

Os dois corpos encontrados são do sexo masculino.

Entre os objetos achados, estão uma poltrona azul com número de série e coloração igual aos usados pela Air France, uma mochila com cartão de vacinação e uma pasta de couro com um bilhete da Air France. Depois de localizados pela FAB, o trabalho de coleta foi feito pela Marinha.

"Hoje foram localizados dois corpos do voo 447 da Air France. Além de dois corpos, vários destroços da aeronave. Entre eles, assentos do avião bem como partes da asa, entre diversos outros itens localizados ao longo do dia", afirmou o chefe da Divisão de Relacionamento com a Imprensa da Aeronáutica, coronel Henry Munhoz.

A FAB aguarda a Air France confirmar se a poltrona é da aeronave. Quanto ao bilhete, sublinhou Amaral, não há dúvidas.

"Foi confirmado com a Air France o número da reserva desse bilhete. Foi passado para a Air France e foi citado um nome que constava da lista, porque nós não tínhamos a relação de passageiros desaparecidos", complementou.

"O nome coincidiu com o nome que foi encontrado nessa maleta."

Segundo Amaral, outros equipamentos foram encontrados, como "máscara de passageiros".

O comandante do 3o Distrito Naval da Marinha, almirante Edison Lawrence Mariath Dantas, afirmou no início da tarde que um notebook também foi recolhido do mar, mas a Aeronáutica não confirmou a informação.

O coronel Henry disse que as equipes de busca não procurarão a caixa-preta do avião da Air France: "A caixa-preta não é responsabilidade desta operação. A nossa operação visa busca de sobreviventes, corpos e destroços, nessa sequência de prioridades."

Um representante da Marinha da França acompanha os trabalhos dos oficiais das Forças Armadas do Brasil que integram o comando da operação de busca. No sábado, um representante do consulado francês também reuniu-se com eles.

Os corpos e os materiais recolhidos foram encontrados a cerca de 900 quilômetros de Fernando de Noronha, aonde chegarão no domingo para a identificação inicial. Depois, deverão ser transferidos para o Recife.

Na sexta-feira, agentes da Polícia Federal recolheram material de parentes hospedados em hotel no Rio de Janeiro para a realização de exames de DNA que poderão identificar as vítimas.

Neste sábado, os parentes das vítimas do acidente foram os primeiros a serem informados sobre o recolhimento dos primeiros corpos na área de buscas. A notícia gerou sentimentos contraditórios entre os familiares.

"Para uns deu desespero, para outros alguma esperança", disse Vast Ester Van Sluijs, mãe de uma das passageiras do voo

AF 447.

"Não sei se estou me iludindo, mas meu coração não sente a morte dele", afirmou Maria Eva Marinho, mãe de outro passageiro.

O voo AF 447 tinha 216 passageiros de 32 nacionalidades, incluindo sete crianças e um bebê. Segundo a Air France, 61 eram franceses, 58 brasileiros e 26 alemães. Dos 12 tripulantes, um era brasileiro e os demais franceses.

(Edição de Aluísio Alves e Eduardo Simões)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG