Pró-Teste examina 20 marcas e encontra irregularidades na classificação dos produtos

Imagine a surpresa do consumidor ao encontrar lentilhas e ervilhas infestadas por insetos vivos. A Pró-Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) constatou o problema em amostras da marca Carreteiro.

Insetos também foram encontrados em amostras de ervilhas das marcas Fritz e Frida, Blue Ville e kisabor. A entidade analisou 20 marcas, sendo 11 de ervilha e nove de lentilha. As empresas contestam a metodologia da avaliação .

A Pró-Teste encontrou insetos vivos entre algumas amostras de ervilhas
SXC
A Pró-Teste encontrou insetos vivos entre algumas amostras de ervilhas
O erro mais comum foi de classificação do alimento em suas embalagens. Das nove lentilhas escolhidas, sete apresentavam algum erro. Nas ervilhas, apenas cinco tinham data de fabricação – Fritz e Frida, Camil, Carreteiro, Combrasil e Hikari.

Todas as marcas tinham sugestões de receitas, mas somente três (Fritz e Frida, Carreteiro e Blue Ville) tinham indicações sobre o modo básico de preparo.

Já nas lentilhas, o problema estava na classificação delas. Lentilhas são apresentadas em tipo 1, 2, 3 e 4, sendo 1 melhor e 4 pior. A diferença está na qualidade dos grãos – avariados, mofados, com impurezas.

A Hikari se diz do tipo 1, mas foi classificada pela Pró-Teste como 3. A Granfino, ironicamente, se dizia tipo 2 enquanto era classificada como 1, o que representa uma qualidade superior à constatada no rótulo.

Como foi o teste

A Pró-Teste visitou mercados em dez cidades e testou 20 marcas, sendo nove de lentilha (Granfino, Hikari, Camil, Carreteiro, Fritz e Frida, Máximo, Yoki, Kisabor, Chinezinho) e 11 de ervilha (Camil, Carreteiro, Combrasil, Fritz e Frida, Hikari, Chinezinho, Granfino, Máximo, Yoki, Blue Ville e Kisabor).

As amostras analisadas eram de 20 gramas. O resultado foi encaminhado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que contestou a metodologia dos testes: o correto seria usar amostras de 250 gramas.

Na avaliação da Pró-Teste, a melhor opção de lentilha é da marca Camil. Ela recebeu a melhor análise sensorial, seguida pela Fritz e Frida, com melhor relação qualidade e preço.

Entre as ervilhas, a Pró-Teste destaca também a marca Camil, produto classificado como tipo 1 e em segundo lugar, a marca Chinezinho, que apresentou menos defeitos no teste.

Ótimos alimentos

Apesar das constatações preocupantes, ervilhas e lentilhas continuam sendo ótimas opções de alimentos. Ervilhas, em especial, têm sais minerais que ajudam na formação de ossos, dentes e sangue.

O grão possui vitamina A e C, além do complexo B. Já as lentilhas possuem carboidratos complexos, fibras, ácido fólico, vitamina B6, magnésio, ferro e triptofano, sem falar que têm poucas calorias e nenhuma gordura.

Resposta das empresas

Algumas das empresas responsáveis pelo comércio de lentilhas e ervilhas não ficaram nada satisfeitas com a análise da Pró-Teste.

O gerente de produção da Carreteito, Rogério Curcio, disse que a infestação de seus produtos pode ter ocorrido no ponto de venda. “Estamos em processo de implantação do ISSO 9011, nos preocupamos muito com a qualidade do produto”, disse ele.

Já Ana Raquel Bernardes, engenheira de alimentos da Combrasil, contestou o procedimento adotado para analisar seus produtos. “As informações (da Pró-Teste) não são verdadeiras”, disse.

A Granfino, em nota, informou que é “imprescíndivel ao consumidor a validade do produto, visto que é de total responsabilidade do fornecedor durante sua vida de prateleira, independentemente de estar próximo ou não do vencimento.”

A Certa Industria e Comercio de Alimentos, detentora da marca Kisabor, informou em nota que “realiza as análises físicas e de classificação vegetal a cada lote recebido, com base na norma legal da ANVISA e do Ministério da Agricultura”.

A Blue Ville, também em nota, disse que o produto saiu da empresa em condições de consumo, sem insetos vivos. “A entrega dos produtos para as empresas saem em perfeitas condições de consumo.”

A Fritz e Frida, em nota, informou que “se sentiu honrada pela classificação obtida, com indicação da escolha certa.” A nota dizia ainda que a empresa analisa todos os produtos ao receber e os submete à retirada de impurezas.

A Hikari informou, em nota, que "para todos os lotes produzidos são mantidas amostras até seu período de validade e, ao analisarmos, não encontramos estes teores, o que nos leva a crer que isto pode ter ocorrido em pontos isolados."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.