Enterro de Pitta está marcado para 17 horas

O ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta será enterrado neste sábado, às 17 horas, no cemitério Getsêmani, no Morumbi, na zona sul de São Paulo. O velório terá início às 12 horas, na Assembleia Legislativa da capital paulista, segundo nota divulgada há pouco pela assessoria do hospital Sírio-Libanês.

iG São Paulo |

Pitta estava internado desde 3 de novembro. O ex-prefeito tinha câncer no intestino e estava sendo submetido a tratamento desde janeiro deste ano. Os médicos responsáveis pela equipe que tratava do ex-prefeito eram Raul Cutait e Paulo Hoff.

A vida de Pitta

Formado pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Pitta era mestre em economia pela Universidade de Leeds, na Inglaterra, com curso de Administração Avançada em Harvard, nos Estados Unidos. Foi executivo de várias empresa, entre elas, a Eucatex, da família Maluf, onde trabalhou por mais de 10 anos.

Na vida política, Pitta foi secretário municipal das Finanças da gestão de Paulo Maluf (PPB) na prefeitura de São Paulo. Em 1996, Maluf lançou seu secretário como candidato a prefeito de São Paulo. Se Celso Pitta não for um grande prefeito, nunca mais votem em mim, repetia Maluf na campanha na televisão. Eleito com 57,37% do votos em 15 de novembro de 1996, Pitta assumiu o cargo de prefeito da maior cidade do País.

Celso Pitta esteve à frente da Prefeitura de São Paulo de janeiro de 1997 e dezembro de 2000. O mandato foi marcado por suspeitas de corrupção, com denúncias surgindo em março de 2000, principalmente por parte de sua ex-esposa Nicéia Camargo. As denúncias envolviam vereadores, subsecretários e secretários - entre as denúncias, está o escândalo dos precatórios. Ele foi afastado do cargo por 19 dias em 2000, acusado de usar a Prefeitura em beneficio próprio, mas foi reconduzido pela Justiça. 

No ano passado, Pitta teve seu nome envolvido nas investigações da operação Satiagraha, coordenada pela Polícia Federal. O ex-prefeito chegou a ser preso, mas foi libertado graças a um habeas-corpus concedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

* Com Agência Estado

Leia mais sobre: Celso Pitta 

    Leia tudo sobre: celso pitta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG