No último domingo, o ator Theo Becker foi eliminado do reality show da Rede Record ¿A fazenda¿. Sua participação na disputa pelo prêmio de R$ 1 milhão ficou marcada por polêmicas. Durante sua estadia na fazenda, Becker brigou com quase todos os colegas de confinamento, demonstrou descontrole emocional e chegou a ¿conversar¿ sozinho. Na sua saída, o ator atribuiu o comportamento agressivo ao medicamento Sibutramina, um inibidor de apetite vendido somente sob prescrição médica. A declaração do ator gerou uma dúvida. Afinal, quais são os efeitos que essa substância pode causar a seus usuários?

A Sibutramina foi desenvolvida no início da década de 80 como antidepressivo, agindo em áreas do cérebro que controlam não somente o humor e a sensação de bem estar, como também o apetite. Em novembro de 2007, a FDA (Food and Drug Adminstration), a agência americana que controla a qualidade de alimentos e medicamentos, aprovou nos Estados Unidos o uso da Sibutramina para o controle do peso. A substância promove um aumento da sensação da saciedade, agindo sobre a compulsão alimentar e como inibidora da sensação de fome.

Segundo o professor de Endocrinologia da Universidade de São Paulo (USP), Geraldo Medeiros, o medicamento pode causar alguns sintomas colaterais. Os mais comuns são boca seca e constipação intestinal. Raramente se observa efeitos de excitação neurológica central, como nervosismo, agitação e insônia, afirma.

Reprodução/TV Record

Theo Becker disse na saída do reality show que a Sibutramina o 'deixou nervoso'

Para o psiquiatra Leonard Verea, formado pela faculdade de Medicina e Cirurgia de Milão, com especialização em Medicina Psicossomática, mesmo com os efeitos colaterais, a aceitação da Sibutramina, no geral, é boa por parte dos pacientes. De acordo com ele, a alteração no temperamento com o uso do medicamento pode acontecer, mas ela varia de acordo com o organismo.

O médico precisa ver o estado emocional do paciente. Se ele estiver com tensão, estresse, imunidade baixa, ele fica mais vulnerável a esses efeitos colaterais mais fortes, avalia Verea. O médico tem que ter o bom senso de não prescrever um medicamento como esse [Sibutramina] para alguém que não precise emagrecer.

A mudança no humor por causa da ingestão da Sibutramina foi constatada pela veterinária Cristiana Fernandes, de 31 anos. Ela foi recomendada pelo seu médico endocrinologista a iniciar o tratamento. Segundo a veterinária, o medicamento acentuou o seu temperamento já irritadiço, mas nada que fugisse do controle.

Prefiro ficar mais irritada a comer doce compulsivamente, como acontecia antigamente, diz Cristiana. O meu namorado também usou a Sibutramina por um tempo. Nesse período, nós ficamos dando choque. Ainda bem que ele parou logo, completa.

De acordo com José Marcondes, endocrinologista do Hospital Sírio Libanês, a Sibutramina, no entanto, não é recomendada para pessoas que já são muito ansiosas. A administração desse tipo de droga tem que ser feita com muita cautela. Se é uma pessoa que está estressada ou tem outras doenças, a chance de ter problemas com remédio é maior, diz o médico.

Segundo Marcondes, só o fato de alguém estar em dieta já pode causar alterações de humor. Se for uma restrição calórica muito intensa a pessoa pode ter distúrbio de sono e humor porque ela está se restringindo de coisas que ela gosta, como carboidratos.

Pesquisas

De acordo com dados divulgados no site da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Sibutramina está presente em mais de 70 países. No Brasil, o medicamento está registrado desde 1998 e possui diferentes nomes comerciais, tais como Reductil, Sibutran, Plenty, Obesy, Frugal e Siluette. Uma prova da popularidade da substância no País pode ser vista no site de relacionamentos Orkut, onde a comunidade Sibutramina ¿ usuários possui mais de seis mil participantes.

Tal popularidade pode estar ligada a uma pesquisa do Ministério da Saúde divulgada em abril deste ano. O resultado do levantamento mostrou que a obesidade entre os brasileiros aumentou. Atualmente, 13% dos adultos são obesos, sendo o índice maior entre as mulheres (13,6%) do que entre os homens (12,4%). Em 2006, os dados apontavam que 11,4% dos brasileiros eram obesos e, em 2007, o índice já havia subido para 12,9%.

A pesquisa divulgada em abril mostrou ainda que a cidade de Porto Alegre lidera o ranking de obesidade. Lá 15,9% dos adultos estão em guerra com a balança.

A unidade de Farmacovigilância da Anvisa, porém, alerta que o medicamento só deve ser prescrito a pacientes que não responderam adequadamente a um regime de emagrecimento devidamente concebido. A recomendação também pode ser feita para pacientes que tiveram dificuldades em atingir ou manter uma perda de peso maior que 5% num período de três meses.

A Anvisa ressalta ainda que a Sibutramina só deverá ser administrada como parte de um tratamento de redução de peso a longo prazo, sob vigilância de um médico com experiência no tratamento da obesidade.

Leia mais sobre: Sibutramina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.