Engenheiro pode ser preso após prédio desabar na BA

Eduardo Wesley Lima de Aquino ainda não foi localizado pela polícia para receber a intimação para depor

AE |

O delegado Adailton Adan afirmou nesta quarta-feira que pode pedir a prisão preventiva do engenheiro Eduardo Wesley Lima de Aquino. Ele é o responsável pelas obra do prédio de sete andares que desabou sobre uma casa no bairro de Pernambués, em Salvador, no último sábado, deixando três mortos e duas crianças feridas.

Aquino ainda não foi localizado pela polícia para receber a intimação para depor. De acordo com Adan, o desaparecimento do engenheiro justifica o pedido de prisão por obstrução das investigações.

Entre a tarde e a noite de hoje, o proprietário da Marques Lima Construções Ltda., empresa que construía o edifício, Sílvio Lima, e um irmão dele, o mestre de obras Everaldo Lima, prestaram depoimento sobre o caso. A mulher e sócia de Sílvio, Cristiane Marques, marcou seu depoimento para a próxima segunda-feira. De acordo com o delegado, os testemunhos serão comparados aos laudos feitos pela Polícia Técnica, que devem ser conhecidos nos próximos 30 dias, para que sejam apontadas as causas da tragédia.

Na tarde desta quarta-feira, a polícia prendeu um falso engenheiro civil que, desde 1989, prestava serviços a pequenas empresas de construção, sem nunca ter entrado em uma faculdade da área. Com Luiz Carlos Dias, foram apreendidos, além de documentos falsos - entre eles uma carteira do Conselho Regional de Engenharia -, contratos para a construção de quatro edifícios (três na Bahia e um em Pernambuco) e um projeto, pedido por Sílvio Lima, para o local onde foi feito o prédio que desabou. No projeto de Dias, o edifício teria quatro andares, não sete, como o que ruiu.

    Leia tudo sobre: salvadorprédiodesabamento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG