Começou hoje, em Genebra, na Suíça, a Conferência Mundial sobre o Clima, que reúne 2.500 autoridades e especialistas sobre o assunto.

O diretor-geral da Organização Mundial de Meteorologia (OMM), Michel Jarraud, disse que autoridades discutirão medidas para melhorar a previsão do tempo de longo prazo, especialmente na África e em nações em desenvolvimento. "Nós chegamos a um ponto em que sentimos que há uma grande lacuna que precisa ser preenchida", disse.

A conferência de Genebra não é parte do processo da Conferência de Copenhague, que no fim do ano tentará concluir um acordo mundial para substituir o Protocolo de Kyoto, prevendo cortes nas emissões de gases causadores do efeito estufa. Porém, os envolvidos no encontro desta semana ressaltaram a importância do evento para auxiliar todos os países a obterem informações para adaptação às condições climáticas extremas previstas pelo aquecimento global.

A OMM já alertou que o aquecimento mudará decisões em temas como defesa contra enchentes, agricultura e geração de energia. Essas atividades, lembra a entidade da Organização das Nações Unidas (ONU), são em geral realizadas com a experiência de padrões meteorológicos e níveis dos mares de anos anteriores. "Agora nós precisamos antecipar mudanças, não podemos mais nos basear no passado para tomar decisões para o futuro", afirmou Jarraud.

A reunião desta semana discute um documento chamado "Estrutura Global para Serviços Climáticos", que pode moldar decisões sobre água, agricultura, pesca, florestas, transporte, turismo, energia e preparo para desastres naturais. Segundo Jarraud, a iniciativa se baseia em grande parte em cooperações já existentes no setor das previsões climáticas, que precisam ser ampliadas. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.