Encontro com prefeitos não foi campanha eleitoral, diz TSE

SÃO PAULO (Reuters) - O Tribunal Superior Eleitoral decidiu por unanimidade nesta quinta-feira rejeitar a acusação feita pelo PSDB e pelo DEM de propaganda eleitoral antecipada contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Os dois partidos de oposição acusavam Lula e Dilma de antecipar a campanha eleitoral para a Presidência da República durante o Encontro Nacional de Prefeitos, realizado em fevereiro em Brasília.

Reuters |

Para DEM e PSDB, o encontro, pago com recursos públicos, serviu para promover o nome da ministra, preferida de Lula para a sucessão presidencial no ano que vem.

Os ministros do TSE entenderam que não ficou caracterizada campanha eleitoral fora de época e, portanto, negaram o pedido de DEM e PSDB que queriam a imposição de multa a Lula e Dilma.

"Examinei os autos e as notícias de jornais e verifiquei que não há evidências de propaganda eleitoral em benefício de suposto candidato durante o evento", disse o relator do processo, ministro Arnaldo Versiani, em seu voto.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG