Empresas se comprometem a combater a exploração sexual

Compromisso firmado nesta segunda-feira por 24 grandes empresas e fundações brasileiras, no Rio de Janeiro

Agência Brasil |

Combater a exploração sexual de criança e adolescentes foi o compromisso firmado nesta segunda-feira (23) por 24 grandes empresas e fundações brasileiras, no Rio de Janeiro. A iniciativa, proposta pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e pela organização não governamental Terra dos Homens, recebeu a adesão de empresas estatais, como a Petrobras e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de empresas privadas, como a Vale.

O compromisso prevê que as empresas tenham ações concretas para sensibilizar funcionários, fornecedores e clientes sobre a exploração de crianças e adolescentes. O pacto também sugere que empresas estabeleçam cláusulas em seus contratos explicitando a rejeição a esse tipo de crime.

O acordo foi firmado na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Segundo o ministro da Secretaria de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, a ideia é atrair mais empresas para o compromisso, tanto no setor industrial quanto em outros setores da economia, como o comércio, os transportes, o financeiro e o de comunicação.

“Se houver o fenômeno da prostituição com pessoas acima de 18 anos, teremos um problema social importante, mas quando isso acontece com pessoas abaixo de 18 anos é uma violação de direitos humanos. Então temos de enfrentar com vigor e uma pressa absolutamente especiais”, disse Vannuchi.

A Firjan informou que vai promover uma campanha para estimular as mais de 10 mil empresas associadas a assinarem o compromisso. A Federação das Indústrias também marcou para 23 de agosto de 2011 uma reunião para avaliar os resultados do compromisso firmado hoje.

    Leia tudo sobre: exploração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG