Empresário e filho são mortos por disputa de terreno na Bahia

Terreno avaliado em R$ 14,5 milhões teria motivado assassinato de empresário em Salvador

AE |

selo

A polícia baiana investiga a possível ligação entre a disputa por um terreno avaliado em R$ 14,5 milhões e os assassinatos, na manhã de ontem, em Salvador, do empresário André Cintra Santos, de 54 anos, e de seu filho, o estudante de engenharia ambiental Matheus Braga Cintra, de 21.

O crime ocorreu no terreno em questão, um lote de 240 mil metros quadrados na avenida mais movimentada da cidade, a Paralela - que faz a ligação entre o aeroporto e o terminal rodoviário.

Segundo testemunhos, Santos havia ido ao terreno, localizado nas proximidades do Parque de Exposições - onde foi realizado, nesta semana, o Festival de Verão -, para fotografar uma placa, instalada pela Prefeitura, na qual havia o aviso de que não era permitida a cobrança de estacionamento no local.

Enquanto fazia as fotografias, ainda de dentro do carro, Santos e o filho foram abordados por dois homens, que dispararam mais de 15 vezes. As vítimas morreram no local. Os atiradores fugiram em seguida, em outro carro, sem levar nenhum objeto de valor - nem a câmera que o empresário segurava.

A disputa judicial pela posse do terreno tem 14 anos. Foi iniciada porque o antigo proprietário teria morrido antes de passar a escritura ao suposto comprador da área - de quem Santos virou sócio. A empresa FB&A Construções, porém, alega ser a detentora da propriedade, que já estaria sendo negociada para outra empresa, uma multinacional. O processo corre na 19ª Vara Cível de Salvador.

Santos também tinha ligações com o Poder Judiciário baiano e chegou a testemunhar na investigação da Operação Janus, que descobriu um esquema de venda de sentenças na Justiça do Estado, em 2008. Desde aquela época, o empresário dizia receber ameaças de morte.

    Leia tudo sobre: AssassinatoBahiaterrenohomicídiocrime

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG