Empresário acusado de mandar matar filho é indiciado

Superintendente da Federação das Indústrias do MT briga com o filho na Justiça por um prêmio de mais de R$ 28 milhões da Mega-Sena

iG São Paulo |

iG
Serafim foi preso na sede da Fiemt. Foto: Andre Romeu
O empresário e ex-superintendente da Federação das Indústrias de Mato Grosso, Francisco Serafim de Barros, e seu filho caçula, Fabiano Leão de Barros , foram indiciados neste domingo por formação de quadrilha, crime previsto no artigo 288 parágrafo único do Código Penal.

Foram indiciados pelo mesmo delito Florenço Rodrigues de Oliveira Neto, José Gonçalves de Moraes, Ademar Oliveira da Silva e Maxuel Silva dos Santos. Com exceção de Fabiano, que também responde por posse de armas, os outros indiciados foram dispensados neste domingo e responderão o crime em liberdade. 

Os últimos quatro homens chegaram a ser contratados pelo empresário para matar Fábio Leão de Barros, também filho do ex-superintendente. O motivo seria a disputa de bens imóveis comprados com o dinheiro de um prêmio de R$ 29 milhões da Mega Sena, cujo ganhador foi Fábio, que acabou envolvendo o pai nos negócios. 

Os apontados como "pistoleiros", a exemplo dos mandantes, conforme está no inquérito, negaram a intenção de concluir a pistolagem. Segundo o delegado Ivan Barreira, encarregado do caso, "de acordo com as provas colhidas, ficou caracterizado como crime apenas a formação de quadrilha".

    Leia tudo sobre: Mega-Sena

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG