O Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão da Secretaria do Ambiente do Rio, autuou hoje o grupo Pedras Transmissoras, que está construindo uma estação de energia para a Ampla, na BR-101 norte, km 28, em Itaboraí (RJ), pelo vazamento de aproximadamente 6 mil litros de óleo vegetal naftênico. O transbordamento aconteceu na madrugada da segunda para terça-feira durante a operação de enchimento do óleo no transformador elétrico por um caminhão.

O vazamento, que foi informado pela empresa ao Inea, atingiu o solo e canaletas que deságuam no Rio dos Duques, afluente do Casseribu. A pedido dos agentes, foram instaladas barreiras de contensão para evitar que o vazamento se alastrasse.

Hoje, técnicos do Inea realizaram um sobrevoo e identificaram vestígios e manchas do óleo ao longo do Rio Casseribu, apesar da instalação de mais de 20 barreiras de contensão. Segundo os técnicos, o óleo vegetal naftênico tem baixa toxidez tanto aguda como crônica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.