Empresa distribui nhoque para falar sobre rio Tietê

O rio Tietê representado em massa de nhoque. É de forma inusitada que a indústria de massas Zini Alimentos e a empresa de tecnologia ambiental VOmm Turbo chamam a atenção para a degradação do rio mais famoso de São Paulo.

Agência Estado |

Em um ciclo de palestras de conscientização ambiental, ministrado hoje (29) pela ONG Ecos do Vitória, em uma praça na Freguesia do Ó, bairro da zona oeste de São Paulo, as duas empresas irão distribuir 170 kg de nhoque aos presentes, em alusão à extensão da nascente do rio até o local do evento, entre as pontes Júlio Mesquita e Freguesia do Ó, na Marginal Tietê.

"São 170 km de Tietê em massa de nhoque. Uma forma de as pessoas notarem a grande extensão de águas desperdiçadas em decorrência da poluição", explica o diretor das empresas e idealizador do evento, Enrico Vezzani. "Falta conscientização ambiental e pretendemos levá-la gratuitamente aos paulistanos", completa o empresário, que também é formado em engenharia ambiental.

O ciclo de palestras oferecido pela Ecos do Vitória ensinará aos presentes práticas cotidianas de sustentabilidade que podem contribuir com o meio ambiente, como instrução para coleta seletiva de lixo e reaproveitamento de alimentos. De acordo com Vezzani, os métodos ensinados nas palestras foram utilizados na produção dos 170kg de nhoque, da preparação da massa ao descarte dos resíduos.

"O nhoque não consumiu água para o cozimento. Ele foi preparado no próprio molho, economizando 8 litros de água por quilo de nhoque produzido", conta o empresário, que justifica a escolha do nhoque pelo seu significado na cultura italiana. "O nhoque traz sorte àqueles que o consomem. A mesma sorte que desejamos ao rio, para que ele volte como era há 40 anos."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG