Por Burton Frierson NOVA YORK (Reuters) - Milionários que estão passando por uma maré de azar agora têm onde vender seu enormes iates, seus supercarros e as joias da família sem precisar ir a uma loja de penhores.

Um site de leilão na Internet voltado para milionários, inaugurado oficialmente na segunda-feira, deve obter lucros em meio à pior recessão em décadas, que afetou também os ricos e famosos nos Estados Unidos, afirmou a BillionaireXchange.

A empresa diz que já participou da venda de mais de 180 milhões de dólares em ativos durante a fase-teste do site, que durou 10 meses, e percebeu uma tendência de dificuldade nas transações dos clientes norte-americanos.

"Eu diria que no mercado dos Estados Unidos esse tipo corresponde à maioria das transações que vemos agora", disse Quintin Thompson, co-fundador e parceiro executivo do BillionaireXchange, à Reuters.

"Por conta das atuais condições econômicas nos Estados Unidos estamos vendo muitas pessoas que precisam trocar ou vender seus itens de luxo, e precisam de um local discreto para facilitar essas transações para que não tenham que lidar com o constrangimento de estarem um má situação".

A empresa diz que vai explorar um nicho entre os sites de venda como o eBay, abertos ao público em geral, e casas de leilão como a Sotheby's, para obras e coleções artísticas.

O site facilita a venda e troca de tudo, de antiguidades a propriedades comerciais e casas.

Acima de tudo, ele promete privacidade e exclusividade, exigindo que os membros em potencial tenham um patrimônio mínimo de 2 milhões de dólares.

O BillionaireXchange cobrará comissão de 5 por cento nas vendas e diz que teria gerado cerca de 8,75 milhões de dólares em receita caso essas taxas tivessem sido cobradas na fase de testes.

(Reportagem de Burton Frierson)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.