Emocionado, FHC recebe políticos em velório de Ruth Cardoso

SÃO PAULO (Reuters) - O velório da ex-primeira-dama e antropóloga Ruth Cardoso, mulher do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), reuniu nesta quarta-feira na Sala São Paulo políticos antagônicos, empresários e integrantes do meio cultural. O ex-presidente, muito abalado, segundo integrantes do PSDB, chegou ao local, sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, por volta das 12h30. FHC e dona Ruth foram casados por mais de 50 anos.

Reuters |

Uma bandeira do Brasil cobria parte do caixão aberto.

Ficaram ao lado do corpo dois lanceiros do regimento Nove de Julho da Polícia Militar.

Fernando Henrique, que não deu entrevistas, estava acompanhado dos filhos Paulo Henrique e Luciana. Em visita à Espanha, a filha Beatriz viajou para o Brasil ainda na terça-feira à noite e deve chegar a tempo de comparecer ao enterro marcado para a manhã de quinta-feira no cemitério da Consolação, em São Paulo. O velório será encerrado às 21h.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou ao velório no final da tarde na companhia de dona Marisa e de ministros, pouco depois da chegada do governador José Serra (PSDB).

Ruth morreu, aos 77 anos, na noite de terça-feira em sua residência no bairro de Higienópolis, região central da cidade.

De acordo com informe médico, ela morreu de arritmia grave decorrente de doença coronariana. Na segunda-feira, havia se submetido a um cateterismo e teve alta à noite do Hospital do Rim.

O médico Raul Cutait, amigo da família, disse durante o velório que conversou com os médicos que atendiam a ex-primeira-dama e o com filho Paulo Henrique.

'Ela teve, segundo os cardiologistas, uma arritmia que de vez em quando ela tinha', disse a jornalistas. 'Ela fez um cateterismo que mostrou resultado igual a anos anteriores sem nenhuma anormalidade. Estava medicada, foi para casa e teve morte súbita, o que às vezes acontece com quem tem arritmia mesmo sendo medicada.'

Presente ao velório, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse que dona Ruth era iluminada e que ela tinha uma relação especial com o ex-presidente.

'Conversavam sem precisar de palavras. Eram conversas regadas a um humor muito fino', contou.

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, confirmou o cancelamento das comemorações dos 20 anos do partido que seriam realizadas nesta quarta-feira no Congresso, em Brasília.

Ele disse que ainda não há uma nova data, porque FHC está muito abalado. 'Ruth honrava muito o partido e é como se o partido estivesse sem uma de suas cabeças', afirmou.

O senador Tasso Jereissati (CE) relatou que o presidente FHC precisaria muito dos amigos nesta hora. 'A vida deles se complementava, ela era parte fundamental dele.'

Também o ex-governador Geraldo Alckmin, candidato a prefeito de São Paulo, comentou sobre o estado emocional do ex-presidente.

'Fernando Henrique está extremamente emocionado, a vida deles era de décadas juntos, mas se Deus quiser ele vai superar.' Alckmin, assim como quase todos os políticos que se manifestaram sobre Ruth, ressaltou o trabalho dela na área social, afirmando que o programa Comunidade Solidária, presidido por ela durante o governo FHC, foi precursor de uma rede de proteção social que levou ao Bolsa Família no governo Lula. O programa visava combater a exclusão social.

Também o deputado do PV Fernando Gabeira afirmou que Ruth modernizou a política de assistência social no Brasil 'fazendo com que o governo não fosse apenas um intermediário entre necessitados e a iniciativa privada'.

Afirmando ter muito respeito pela ex-primeira-dama, a ex-prefeita Marta Suplicy destacou seu papel na luta feminista.

'Participamos muitos anos de um grupo feminista. Ela tinha consciência clara do papel da mulher e ajudou seu marido a perceber isso. Como primeira-dama, termo que ela não gostava de ser chamada, desempenhou um papel muito inovador e foi modelo para varias gerações', disse.

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) foi ao velório, mas evitou dar entrevistas.

Em nota, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que Ruth Cardoso 'foi um exemplo de integridade pessoal e moral, cujas ações propiciaram melhor entendimento da realidade brasileira e destacaram-na como exemplo de cidadania'.

Fernando Henrique recebeu ligações de condolências do ex-presidente Bill Clinton, da senadora Hillary Clinton e do rei Juan Carlos da Espanha.

O presidente Lula, o governador Serra e o prefeito Kassab decretaram luto de três dias.

(Reportagem de Fernanda Ezabella)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG