Emenda irá explicar campanhas eleitorais em internet, diz relator

BRASÍLIA - O relator da reforma eleitoral na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), informou nesta quarta-feira que apresentará uma emenda para especificar as restrições ao uso da internet durante campanhas eleitorais.

Sarah Barros, repórter em Brasília |


O senador contestou o entendimento de que as regras previstas para a internet, no projeto de lei, sejam uma censura ao seu uso. Ele afirmou que o uso de blogs, artigos e cobertura jornalística é livre. Nunca interpretei [as regras sobre opinião] como censura. Estamos ampliando o uso da internet, frisou.

Azeredo evitou apontar situações em que a lei se aplicaria por conteúdos que reúnem conteúdo em vídeo e áudio, similares a rádio e TV, e texto, semelhante aos jornais. A internet é um meio de comunicação novo, então há processo de adaptação, destacou.

Segundo o senador, as TVs e rádio podem fazer a cobertura das eleições, desde que não aja com parcialidade. Já os jornais podem apresentar editoriais, o que será permitido para a internet, desde que seguidos os padrões dos jornais. O que se buscou com a primeira lei [que rege TVs, rádios e jornais] foi que não haja preferência a candidatos, declarou.

Leia mais sobre: reforma eleitoral

    Leia tudo sobre: campanhaeduardo azeredointernetreforma eleitoral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG