Embaixador em Honduras não voltará ao país, diz Itamaraty

BRASÍLIA (Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores determinou nesta segunda-feira que o embaixador brasileiro em Honduras, Brian Michael Fraser Neele, fique no Brasil sem prazo para voltar ao país centro-americano devido ao golpe que tirou o presidente Manuel Zelaya do poder. Ele estava de férias e vai permanecer no Brasil devido aos últimos acontecimentos, disse um porta-voz do Itamaraty à Reuters.

Reuters |

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou nesta noite por cerca de cinco minutos com Zelaya, que fez um relato da situação em Honduras, informou assessoria da Presidência.

Mais cedo, Lula condenou o golpe de Estado e afirmou que não reconhecerá outro governo que não seja o do presidente deposto.

"Não podemos aceitar mais, na América Latina, alguém querer resolver o seu problema de poder pela via do golpe", disse Lula em seu programa de rádio semanal "Café com o Presidente".

AP
Polícia dispersa manifestantes em Honduras

Polícia dispersa partidários de Zelaya em ato nesta segunda-feira


O Exército de Honduras deteve Zelaya em sua residência no domingo e o levou contra a sua vontade para a Costa Rica. Os militares têm o apoio de setores políticos contrários ao projeto de reeleição do presidente.

"O Zelaya ganhou as eleições. Portanto, ele deve retornar à Presidência de Honduras. É a única condição para que a gente possa estabelecer relações com Honduras", afirmou Lula.

Os países latino-americanos que integram o grupo de esquerda Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba) anunciaram também nesta segunda-feira que vão retirar seus embaixadores de Honduras, em protesto à deposição do presidente Manuel Zelaya.

(Por Tatiana Ramil, com reportagem adicional de Natuza Nery)

Leia mais sobre Honduras

    Leia tudo sobre: golpehonduraslulamanuel zelaya

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG