Durante evento na Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), a ex-ministra chefe da Casa Civil e pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi cobrada hoje sobre a falta de investimentos para a ampliação do metrô de Belo Horizonte. Para nós, ministra, há muitos anos é uma demanda importantíssima para Minas, reclamou o presidente da Fiemg, Robson Braga de Andrade no encerramento da solenidade.

"O metrô de Belo Horizonte tem tido poucos recursos e a gente tem recebido realmente pouco apoio do governo federal".

Antes, ao conceder entrevista à rádio Itatiaia, Dilma já havia sido questionada sobre o assunto. Ela observou que os investimentos para construção e ampliação dos trens urbanos estão previstos na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

"Na questão da mobilidade (urbana), vai ter uma dotação muito significativa para metrô. Então, como nós não escolhemos sem discussão, vamos fazer metrô para cidades acima de três milhões de habitantes (incluindo as regiões metropolitanas). É essa a proposta do PAC 2. Vamos deixar o projeto, vamos deixar tudo pronto e, se possível, se o prefeito achar adequado, ele licite e a gente já começa fazendo em 2011", prometeu.

No encontro com os empresários mineiros, a pré-candidata petista ressaltou que está previsto no PAC 2 obras no Anel Rodoviário e um edital para a licitação já foi publicado. "É um projeto que vamos fazer a licitação agora e vai integrar esse legado que o presidente Lula deixou e deixa pronto para o próximo governo, que é o PAC 2".

A nova etapa do programa também prevê intervenções da BR-381, no trecho de 311 quilômetros, entre Belo Horizonte e Governador Valadares.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.