O taxista Paulo Roberto Barbosa Soares, pai de João Roberto, de 3 anos, morto por PMs no domingo na Tijuca, zona norte do Rio, gritou palavras de revolta durante o velório do filho, nesta terça-feira no Cemitério do Caju. São uns assassinos, disse o taxista sobre os policiais.

AE

João Roberto tinha três anos
João Roberto tinha três anos

O pai também afirmou, chorando: "O Estado não tem carta branca para matar ninguém. Aqui não tem pena de morte. E se fossem bandidos? Qual é o problema? Prendessem os bandidos", afirmou.

Soares disse várias vezes que está revoltado por ter perdido "o garoto que tanto ama". Cerca de 200 pessoas velaram o corpo de João Roberto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.