Em SP, Morumbi pode ter elevado para trem até 2014

Considerado um dos trunfos do São Paulo para defender o Morumbi como a sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, o projeto para a construção de um elevado de 1.140 metros pela Avenida Jorge João Saad, entre o estádio e a futura estação do Metrô São Paulo/Morumbi, mobiliza parte dos moradores do bairro contrários ao que eles apelidaram de um “mini Minhocão”.

Agência Estado |

O projeto foi apresentado na capital paulista, em maio, pelo Ministério do Turismo, como parte do Plano de Mobilidade Urbana para a Copa-14, orçado em R$ 38,51 bilhões.

Pelo elevado da zona sul, projetado pelo arquiteto Ruy Ohtake, haveria um monotrilho, por onde um trem circularia em direção à garagem subterrânea de quatro andares e com capacidade para 4,8 mil veículos, também projetada para ser concluída antes da Copa do Mundo, em uma área de 40 mil metros quadrados, em frente à Praça Roberto Gomes Pedrosa.

A estrutura suspensa a 9 metros facilitaria o deslocamento de torcedores que chegariam ao Morumbi via metrô, o que atende a uma das exigências da Fifa. Um dos principais protestos dos moradores, porém, é de que a construção do elevado colocaria abaixo o canteiro central da avenida, que está arborizado, em um trabalho que se iniciou há oito anos.

Na parte superior da garagem, haveria parque de 26 mil metros quadrados, que receberia passageiros que viessem pelo trem do elevado. O estacionamento seria aproveitado em dias sem jogos, pelos passageiros do metrô que morem longe da estação e tenham de fazer o primeiro deslocamento de carro.

A Copa de 2014 deve trazer cerca de 500 mil estrangeiros ao Brasil. Um estudo do Ministério do Turismo apontou que São Paulo precisa de mais 65,6 quilômetros de metrô e 279,5 quilômetros de corredores de ônibus para a Copa-14, em um investimento de R$ 15,3 bilhões. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG