Em SP, grupo faz 29 reféns ao roubar agência de Perus

Vinte e nove pessoas ficaram reféns de uma quadrilha especializada em roubos de caixas eletrônicos na madrugada de ontem, em Perus, na zona norte de São Paulo. Os ladrões realizaram uma operação ousada para concretizar o roubo em uma agência bancária.

Agência Estado |

Armados com pistolas e fuzis, o grupo interceptou um ônibus fretado que levava 18 funcionários de uma empresa da região. Depois, rendeu dez trabalhadores que faziam, para a Prefeitura, a reforma de calçadas da rua onde foi realizado o assalto. Ninguém ficou ferido e o banco não divulgou a quantia levada.

A quadrilha iniciou seu plano por volta das 3 horas, em uma avenida próxima da Rodovia dos Bandeirantes. Ali, o ônibus que seguia para Itupeva, a 77 quilômetros da capital paulista, com as 18 pessoas que acabavam de sair do trabalho, foi interceptado pelos suspeitos. O motorista foi obrigado a levar o veículo até o Viaduto Ulysses Guimarães. Neste local, o ônibus ficou atravessado na pista para dificultar a chegada da polícia na agência bancária. Dois suspeitos ficaram vigiando as vítimas.

A dois quilômetros dali, uma outra frente da quadrilha começava a arrombar a agência bancária em Perus. Só que eles não haviam percebido que um grupo de funcionários da Prefeitura realizava obras de recuperação de calçadas da região. Ao verem os trabalhadores, o grupo obrigou todos a entrar na agência enquanto realizava o assalto. Os suspeitos exigiram que as vítimas ficassem deitadas no chão.

Um dos caixas eletrônicos, no entanto, explodiu e começou a pegar fogo. As notas de dinheiro ficaram todas queimadas. Os ladrões conseguiram levar um caixa. Na fuga, os mais de 20 suspeitos utilizaram cinco veículos, entre eles uma moto.

Reconhecimento

"Vai ser difícil reconhecê-los porque todos estavam com toucas ninja e luvas. E o sistema do circuito interno não deve ter registrado a ação porque o grupo arrebentou as câmeras durante o assalto", disse o delegado do 46º Distrito Policial, Wilson Tamer.

Há um ano e sete meses à frente da delegacia da região, Tamer disse que é a primeira vez que uma agência bancária é assaltada. "Por isso, acredito que essa quadrilha seja de outro ponto da cidade. Tudo deve ter sido minuciosamente pensado", completou o delegado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG