Em SP, exames médicos ficarão prontos em 30 minutos

O governo do Estado de São Paulo anunciou hoje que exames médicos feitos em hospitais públicos interligados ao Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem (Sedi) ficarão prontos, em média, em 30 minutos. Recém-inaugurado, o sistema já está em operação nos hospitais do Grajaú e da Pedreira, na capital, e de Itapevi, na Grande São Paulo, em três Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) e no Centro de Referência do Idoso da Zona Norte.

Agência Estado |

Ainda neste ano, a tecnologia será levada para os hospitais do Mandaqui e de Carapicuíba. Segundo o governador, José Serra (PSDB), em 2010 "praticamente todos os AMEs estarão interligados". Até 2011, o governo planeja integrar 50 hospitais estaduais. "No futuro, vai ser tudo centralizado", afirmou o governador.

De acordo com Serra, a novidade permite que o paciente faça o exame e aguarde o resultado na própria unidade de saúde. "Basta fazer, mandar para cá e já tem a resposta em 30 minutos. Alguns casos podem ser mais demorados, mas o paciente pode até ficar esperando no local", disse.

O sistema permitirá a análise à distância de exames de mamografia, raio-X, ressonância magnética, tomografia computadorizada e ultrassom. O paciente fará o exame nas unidades de saúde integradas ao serviço e as informações serão enviadas por meio de internet via rádio para a central. Lá, uma equipe de 40 especialistas, incluindo médicos, analisará as imagens e mandará uma resposta à unidade. Segundo Serra, esses profissionais poderão até orientar a realização de exames a distância.

O serviço funcionará 24 horas por dia, nos sete dias da semana, e tem capacidade para analisar 1,5 mil exames por dia. O Estado investiu R$ 12 milhões na criação do serviço. O custeio do sistema será de R$ 14,4 milhões por ano, informou o secretário estadual da Saúde, Luiz Barradas Barata. "Você deixa de gastar com filme para raio-X e com contratação de pessoal", disse Barradas. "No serviço de radiologia de um hospital, você tem 30 pessoas trabalhando. Aqui, com 40 funcionários, atendo sete hospitais."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG