O Ministério da Saúde vai liberar R$ 100 mil para dois projetos do Estado de São Paulo cujo objetivo é oferecer atendimento a usuários de álcool e drogas. As duas experiências se somam a outras 12 selecionadas para apoiar os Consultórios de Rua, espaços de promoção à saúde voltados a reduzir os danos de pessoas que moram ou estão em situação de rua e são dependentes de álcool e drogas.

“A característica mais importante dessa intervenção é oferecer cuidados no próprio espaço da rua, preservando o respeito ao contexto sociocultural da população”, diz Pedro Gabriel Delgado, coordenador de Saúde Mental do ministério.

O "Consultório de rua: reduzindo danos e ampliando o acesso", de São Bernardo do Campo, e o "Consultório de rua: Guarulhos" vão receber R$ 50 mil cada um do governo até o fim do ano. Esses espaços funcionam com equipes multidisciplinares, com integrantes da Saúde Mental, Atenção Básica e Assistência Social. “A equipe chega com um veículo e faz o primeiro contato para oferecer os cuidados básicos. Para cada um é oferecido um kit que pode ser composto por folhetos informativos, camisinhas, protetor labial para quem tem feridas na boca (devido ao uso do crack). Também podem ser feitos testes rápidos de HIV”, afirma Delgado.

Após a aproximação e o contato com as pessoas que vivem nas ruas, o Consultório, no intuito de que elas recebam orientação adequada, pode encaminhá-las para uma equipe de Saúde da Família ou para o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) ou, ainda, para o Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas (Caps-AD).

AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.