Em SP, apenas 12,7% dos homens com sífilis se tratam

Apenas 12,7% dos registros de casos de homens infectados com sífilis no Estado de São Paulo procuram tratamento, segundo levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde com base nos registros do Centro de Referência e Treinamento DST/Aids entre os anos de 1998 e 2008. O Estado registrou, neste período, segundo a Secretaria, 6.

Agência Estado |

958 casos de sífilis congênita, quando a doença é transmitida durante a gestação da mãe para o filho. Do total de casos detectados, em apenas 12,7% dos registros os pais ou os parceiros sexuais das mães procuraram tratamento adequado para a doença.

Para atingir este público, o CRT/Aids está lançando uma campanha focada nos homens, convidando-os a fazer o teste de sífilis e conhecer um pouco mais sobre a doença. A sífilis é uma doença infecciosa e sexualmente transmissível, causada pela bactéria Treponema pallidum e manifesta-se em três estágios: primária, secundária e terciária. A doença pode ficar estacionada por meses ou anos, até o momento em que surgem complicações graves como cegueira, paralisia, doença cerebral, problemas cardíacos, podendo inclusive levar à morte.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG