Em SP, 2 projetos pretendem estimular hábito da leitura

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) iniciou ontem a campanha Livro Livre, que disponibilizará cerca de 5 mil títulos e 15 mil exemplares para doação em 27 estações de trem da Grande São Paulo. Obras como O Triste Fim de Policarpo Quaresma , O Cortiço e O Guarani podem ser retiradas nas estações participantes até sexta-feira.

Agência Estado |

A única exigência é que, terminada a leitura, o exemplar seja abandonado em algum lugar público. “Deve ser mentira que o brasileiro não lê. As pessoas apenas não têm acesso ao livro, o que pretendemos melhorar com essa iniciativa”, explica a idealizadora do projeto, Maria Cândida de Assis.

O professor de história Adir de Almeida Mota é um exemplo de paixão pela leitura. Ao ler Crime e Castigo , de Fiódor Dostoiévski, ele se encantou pela literatura russa e ficou surpreso ao encontrar outro livro do autor entre as obras da CPTM, Os Irmãos Karamázov . “Eventos como esse ajudam muito a promover o interesse.”

Já em todo Brasil começa amanhã o projeto Livro para Voar. Com o apoio da Ale Combustíveis, mais de 6.700 exemplares de vinte títulos serão entregues em postos participantes pelo País. A proposta é a mesma, mas as obras são mais modernas. Diferente dos livros livres da CPTM, os livros que voam da Ale devem ser cadastrados em um site americano. Os leitores devem deixar comentários sobre o que leram e indicar o último lugar em que o livro foi visto, o que possibilita encontrar obras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG