Em São Paulo, médicos montam UTI no Masp

A sigla UTI, abreviatura de unidade de terapia intensiva, costuma despertar receio em grande parte da população. “Dá um frio na barriga.

Agência Estado |

Parece que não tem mais salvação”, diz a vendedora Marlila Souza, de 47 anos, que caminhava ontem pela Avenida Paulista quando foi convidada a conhecer o quarto de UTI cenográfico montado pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), sob o vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Hoje é comemorado o Dia do Médico Intensivista.

“Queremos mudar a impressão que a população tem sobre a UTI e desmistificar o medo que envolve esse leito. A unidade intensiva é sinônimo de vida e de proteção”, afirma Ederlon Rezende, secretário da Amib. Os visitantes puderam esclarecer dúvidas com médicos e residentes de medicina sobre o funcionamento de equipamentos, diferenças entre os leitos e a necessidade de internação em unidades intensivas.

“Pouca gente sabe que existem médicos e equipes multidisciplinares especializadas no trabalho e manejo de pacientes em UTIs”, diz Rezende. Fato que colabora com a imagem negativa. As informações são do Jornal da Tarde.

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG