Em São Paulo, 9% dos alunos das escolas públicas fumam

SÃO PAULO - Cerca de 9% dos estudantes das escolas públicas de São Paulo são fumantes. A estimativa foi feita pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação.

Agência Estado |

Foram entrevistados 2.829 jovens e adolescentes que cursam o ensino fundamental e médio na cidade. O diretor de Promoção à Saúde Cardiovascular da SBC, Rui Ramos, responsável pela pesquisa, lembra que 90% dos fumantes descobrem o vício antes dos 18 anos.

"É prioritário, portanto, estar atento para como o prevalência do consumo de tabaco evolui nas pessoas mais jovens", afirma Ramos. É difícil comparar os dados com os de pesquisas anteriores, pois não há uniformidade de método. Mas Ramos aponta uma tendência de queda. Em 2004, foi publicado o 5º Levantamento Nacional sobre o consumo de Drogas Psicotrópicas entre Estudantes do Ensino Fundamental e Médio, realizado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid). Participaram do estudo 9.631 alunos.

Segundo Sérgio Ricardo Santos, coordenador do PrevFumo, ambulatório para quem deseja ajuda especializada para abandonar o vício, ligado à Unifesp, as estimativas mais recentes afirmam que entre 17% e 20% da população brasileira fuma. Em 1989, era 35%. Ele também confirma a tendência de queda entre jovens e adolescentes, mas acredita que ela é menor do que em outras faixas etárias. "Apesar do aumento na conscientização, o primeiro contato com o cigarro costuma acontecer cada vez mais cedo", justifica Santos.

Segundo a pesquisa da CBD, cerca de 48% dos jovens experimentam tabaco entre os 13 e 15 anos. Natali Gragnano começou a fumar com 14 anos por influência dos amigos. Hoje, está com 18. Ela também respondeu o questionário da CBD. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Leia mais sobre: tabagismo

    Leia tudo sobre: tabagismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG