BRASÍLIA - Em uma tentativa de passar a imagem de que o partido está unido para disputar a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010, o PSDB apresentou nesta quinta-feira ao país em propaganda de televisão seus dois pré-candidatos à Presidência da República, os governadores José Serra (São Paulo) e Aécio Neves (Minas Gerais). Os dois dividiram o tempo do programa e chegaram a elogiar um o trabalho do outro. Nos bastidores, eles disputam a preferência do partido para enfrentar a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT).

Primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, Serra disse que o maior desafio do Brasil é a saúde. O governador lembrou as iniciativas que capitaneou quando foi ministro da área e as que tem feito em São Paulo.

"Remédio para os mais pobres tem que ser de graça", frisou.

Já Aécio focou em segurança: "Em Minas, nos últimos sete anos investimos mais que qualquer outro Estado em segurança pública".

Os dois pré-candidatos falaram da importância da educação, cursos profissionalizantes e geração de empregos. "É o ensino que vira emprego", disse Serra, citando também a questão ambiental. "O Rodoanel é uma prova que dá para respeitar o meio ambiente, gerar empregos e construir o progresso e o desenvolvimento."

"Precisamos ser mais ousados e criativos. Temos que oferecer aos brasileiros uma nova ideia de escola, de ensino, de cultura e principalmente formação ética e moral", comentou o governador mineiro, que também defendeu a redução das desigualdades regionais do país e citou especialmente o caso do Nordeste --região em que o presidente Lula tem seus maiores índices de popularidade.

O programa também contou com uma troca de elogios. Primeiro foi Serra quem falou de Aécio: "Sete anos o governador Aécio governa Minas Gerais com trabalho e grande competência e muita qualidade".

O governador mineiro retribuiu minutos depois. "Nesta área (saúde), o PSDB vem dando importantes contribuições ao país. Quem não se lembra do extraordinário trabalho do então ministro José Serra com a criação dos genéricos e da política de combate à Aids?", disse.

Ataques ao governo

Além de Serra e Aécio, participou do programa o presidente da legenda, senador Sergio Guerra (PE). Em resposta às críticas de integrantes do governo de que o PSDB defende a privatização de estruturas do Estado, o parlamentar lembrou que o governo do PSDB controlou a inflação e "modernizou" o país, abrindo espaço para a universalização da telefonia.

Guerra argumentou também que foi o PSDB que criou diversos programas sociais que, depois de unificados pelo governo Lula, passaram a ser chamados de Bolsa Família. Dizendo que o partido trabalha com "competência e seriedade", ele destacou que nos últimos anos os indicadores de saúde, segurança, educação e infraestrutura pioraram no país.

"Não adianta ficar falando que o Brasil é uma potência mundial e virar as costas para os problemas dos brasileiros", sublinhou.

"Não está certo emprestar dinheiro para os estrangeiros e não investir no Brasil e nos brasileiros."

Guerra criticou o esforço do governo para divulgar suas ações.

"É menos discurso e mais trabalho, menos palanque e mais ação."

(Reportagem de Fernando Exman)

Leia mais sobre Eleições 2010

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.