Em obras, Sesc 24 de Maio quer revitalizar centro de São Paulo com unidade arrojada

SÃO PAULO ¿ Uma piscina no último andar. Não, não se trata de uma cobertura luxuosa, mas o empreendimento é grandioso como tal. Desde a semana passada, o prédio do Sesc 24 de Maio está fechado ao público para uma reforma completa que, em 2011, vai sediar a primeira unidade de grande porte do Sesc-SP no centro da capital, com 13 andares.

Marco Tomazzoni |

Piscina térmica no topo do prédio deve atrair frequentadores o ano inteiro / Divulgação

Idealizado pelo disputado arquiteto Paulo Mendes da Rocha, ganhador do Pritzker, o Nobel da arquitetura, o projeto para o antigo edifício da Mesbla, na esquina das ruas Dom José de Barros e 24 de Maio, existe desde o início da década. Segundo o diretor regional do Sesc-SP, Danilo Santos de Miranda, há 25 anos à frente da instituição, a demora em colocar o plano em prática decorreu principalmente da complexidade em adequar o prédio às normas de segurança e aos padrões do Sesc.

É uma construção muito antiga, que demandou muita atenção para atender às exigências de segurança da prefeitura. É uma reforma, mas ao mesmo tempo uma obra quase nova, inclusive com dois andares subterrâneos, explica. O esmero é tanto que a estrutura necessária para abrigar a manutenção de elevadores e ar-condicionado, entre outros equipamentos, será centralizada em um prédio anexo, adquirido posteriormente.

Dessa forma, a área do edifício-sede será otimizada, até porque se prevê a criação em cada andar de grandes espaços abertos, de mil a 1.200 metros quadrados, áreas de convivência destinadas à leitura, biblioteca, internet, café e outros locais de interação. Além disso, o projeto indica que todos os andares serão interligados por rampas de acesso, facilitando a locomoção.

Fachada no projeto do prédio / Divulgação

A cereja do bolo, no entanto, é uma piscina panorâmica no último andar, com 600m². De acordo com Miranda, a ideia é criar uma espécie de praia urbana no centro da cidade, uma versão melhor acabada da iniciativa realizada recentemente na Avenida Paulista . Mais do que oferecer alívio nos dias de calor, a piscina, térmica, também será preparada para receber banhistas durante o inverno, uma novidade que deve ser sucesso de público o ano inteiro.

Revitalização do centro

Mais do que valorizar seu entorno, o Sesc 24 de Maio faz parte de uma iniciativa maior para dar novo fôlego à região central. À época, havia um esforço conjunto, liderado pela prefeitura, para revitalizar o centro, e o Sesc 24 de Maio integra esse projeto absolutamente indispensável. Graças ao esforço de várias pessoas e entidades, o Centro vem ganhando uma renovação já há algum tempo, afirma Miranda.

Conforme o diretor regional do Sesc, o Centro também é uma região estratégica para a entidade, já que agrupa a maior concentração de trabalhadores do comércio em São Paulo. Assim, a unidade 24 de Maio tem tudo para ser uma das mais freqüentadas da cidade.

Pensando nisso, a programação deve reunir o que há de mais atual, segundo Miranda, em termos de música, teatro e dança. As atividades estarão espalhadas por todo o prédio, em um cineteatro e auditório com 275 e 85 lugares, respectivamente; espaço de exposições; solário e áreas especiais para prática de atividades físicas e dança. Chama a atenção também o restaurante, com capacidade diária para servir 2,5 mil refeições. Com isso, a expectativa é de que até 3,5 mil pessoas passem todos os dias pelo Sesc.

Cineteatro com 275 lugares vai levar programação do Sesc-SP ao Centro / Divulgação

Segundo Miranda, o projeto vai consumir cerca de R$ 45 milhões, utilizados, ainda, para centralizar em um mesmo local as unidades menores localizadas no Centro ¿ uma na Florêncio de Abreu, cuja clínica odontológica será transferida para a 24 de Maio, e o Sesc Carmo, utilizado para atividades sociais e restaurante.

A previsão é de que a reforma se estenda por, no mínimo, dois anos e meio. Miranda argumenta que as obras exigem uma intervenção delicada, já que não é uma região de circulação comum devido à intensa movimentação de pedestres, além de ambulantes e comércio tradicional. Por isso, antes do 24 de Maio, serão apresentados ao público o Sesc Belenzinho ¿ o maior do Brasil, com investimento de R$ 80 milhões ¿, Santo Amaro e a unidade definitiva na Avenida Paulista.

Leia mais sobre: Sesc-SP

    Leia tudo sobre: sesc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG