BRASÍLIA (Reuters) - Depois de viajar três dias pelo Nordeste, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) volta à negociação com os partidos tendo como objetivo construir uma ampla aliança que assegure apoio à sua candidatura à Presidência da República. Desta vez, Dilma agendou para dia 27 jantar com a cúpula do PP. Preferida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para disputar a sua sucessão pelo PT, a ministra já teve conversas semelhantes com representantes de PMDB, PDT, PCdoB, PR e PRB. Com exigências diferentes, a maioria das legendas tende a aderir à candidatura.

O jantar com o PP ocorrerá na casa do líder do partido na Câmara, deputado Mário Negromonte (BA), para quem a maioria dos integrantes da legenda defende uma aliança com o PT e a ministra no âmbito nacional.

"Não vamos fechar questão. Só fecharíamos questão se tivéssemos a vice, mas uma coisa eu digo: a grande maioria do partido deve seguir com Dilma", afirmou Negromonte à Reuters.

Participarão do encontro com a ministra a bancada de deputados federais do PP, o presidente da sigla, senador Francisco Dornelles (RJ), e o ministro das Cidades, Márcio Fortes --única pasta da sigla no governo Lula.

A vaga de vice na chapa encabeçada por Dilma deve caber ao PMDB, o que retira o PP desta disputa. Mas o partido aponta questões concretas com o PT em pelo menos três Estados.

O líder da legenda citou como exemplo Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O PP mineiro apoiará o candidato do governador Aécio neves (PSDB), enquanto o diretório gaúcho da legenda também se aliará à oposição. Em Santa Catarina, PP e PT devem ter candidaturas próprias.

Dilma vem acelerando os diálogos com partidos aliados nas últimas semanas depois que foi liberada pelos médicos do tratamento contra um câncer.

Um dos frutos do esforço do PT para fortalecer a campanha da ministra deve ser colhido na semana que vem, quando PT e PMDB deverão fechar um pré-acordo para a eleição de 2010 que já vai incluir a vice-presidência.

Os petistas também estão otimistas com a possibilidade de acertarem alianças com o PCdoB, um aliado histórico do partido, e com o PRB, sigla do vice-presidente da República, José Alencar.

Apostam também em um entendimento com o PR e o PDT, apesar de parte dos pedetistas simpatizar com a pré-candidatura à Presidência do deputado Ciro Gomes (PSB).

(Reportagem de Fernando Exman)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.