Em nova denúncia contra Sarney, advogado não vê ilícito

SÃO PAULO (Reuters) - Após a divulgação nesta quarta-feira de transcrições de diálogos que indicam a atuação do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), na nomeação de parentes, o advogado da família do senador afirmou que as gravações foram mutiladas e não revelam ilegalidade. Trata-se da divulgação mutilada de trechos de longas conversas telefônicas mantidas entre familiares, as quais não revelam a prática de qualquer ato ilícito, afirma o advogado Eduardo Ferrão em nota enviada à imprensa.

Reuters |

O jornal O Estado de S. Paulo publicou nesta quarta-feira a transcrição de conversas gravadas pela Polícia Federal, com autorização judicial, segundo o jornal, que revelam a atuação de Sarney na nomeação do namorado de sua neta a uma vaga no Senado.

As conversas evidenciam também a ligação entre Sarney e o ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, tido como responsável pelos atos secretos da Casa.

Em um dos diálogos, o empresário Fernando Sarney, filho do senador, diz à filha, Maria Beatriz Sarney, que mandou Agaciel reservar uma vaga para o namorado dela, Henrique Dias Bernardes, segundo o jornal. Em conversa com o filho, alvo da investigação da PF, Sarney caiu na interceptação. Segundo a gravação, o senador se compromete a falar com Agaciel sobre a nomeação.

O namorado da neta foi nomeado oito dias depois, por ato secreto, informa a reportagem. A vaga teria sido de assessor parlamentar 3, com salário de 2,7 mil reais.

A investigação da PF que envolve o filho de Sarney é chamada de Operação Boi Barrica e as gravações reveladas foram feitas entre março e abril de 2008. Nesta época, Sarney era senador, mas não tinha assumido a presidência da Casa.

Os atos secretos, praticados por 14 anos no Senado, serviam a decisões não publicadas e eram voltados a nomeações, em geral de apadrinhados, e desonerações, além de reajustes salariais.

O advogado de Fernando Sarney acrescentou que o inquérito, do qual foram retirados os diálogos divulgados pela imprensa, tramita sob segredo de Justiça e está sendo violado. Diz ainda que a propagação das transcrições por meio da Internet e outros órgãos de imprensa "constitui flagrante e inaceitável atentado a garantias estampadas na Constituição Federal".

O advogado afirma ainda que vai tomar medidas legais para a preservação dos direitos de Fernando Sarney.

A assessoria de Sarney informou apenas que o senador está "incomunicável" no Maranhão. Desde que assumiu o comando do Senado, em fevereiro, Sarney e o Senado vêm sendo alvo de uma sequência de denúncias. No caso do senador, o foco tem sido a contratação de parentes. Já há representações contra ele no Conselho de Ética da Casa.

(Reportagem de Carmen Munari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG